Pode ser homem, mulher ou gay, diz Bolsonaro sobre escolha de novo ministro

Presidente eleito disse que até o fim do mês pode concluir o anúncio de sua lista de ministros



O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta terça-feira, 13, que pode anunciar até esta quarta, 14, a escolha do novo ministro das Relações Exteriores. Em entrevista ao chegar ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), Bolsonaro afirmou que o nome do chanceler será do quadro do Itamaraty.

"É possível acontecer até amanhã. Está madura esta questão. Queremos alguém do quadro do Itamaraty", disse. Questionado se o novo titular seria um homem ou uma mulher, Bolsonaro respondeu: "Pode ser gay também".

Mais cedo nesta terça, o embaixador Luís Fernando de Andrade Serra visitou o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde funciona o gabinete de transição do novo governo. Andrade Serra foi, até meados deste ano, embaixador do Brasil na Coreia do Sul e, segundo o Broadcast/Estado noticiou na semana passada, é um dos nomes cotados para ocupar o posto de chanceler no novo governo.

Na conversa com jornalistas, Bolsonaro disse que até o fim do mês pode concluir o anúncio de sua lista de ministros. "Não podemos anunciar algo hoje e amanhã não vai mais ser", disse.

Bastante cotado também está o embaixador José Alfredo Graça Lima. Ele foi representante permanente do Brasil junto à União Europeia e seu último posto no Itamaraty antes de aposentar-se, em 2016, foi o de subsecretário para Assuntos de Integração, Econômicos e Comércio Exterior. Entre suas atribuições, estava a supervisão da atuação brasileira na Organização Mundial do Comércio (OMC), do Mercosul.

Os dois preenchem o critério informado na terça-feira por Bolsonaro: são diplomatas de carreira. Têm também experiência no campo econômico, que deve ser a linha-mestra da política externa do novo governo: uma maior inserção no comércio mundial, por meio de acordos bilaterais e multilaterais.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO