Pastor André, prefeito de Planaltina de Goiás, é preso na Operação Mãos à Obra


(foto: Fagner Pinho/MPGO)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) deflagrou nesta terça-feira, 6, a Operação Mãos à Obra, para apurar irregularidades detectadas na reforma da Câmara Municipal de Planaltina de Goiás. O prefeito Pastor André (PRB), ex-presidente da Câmara municipal, foi preso.

A operação ocorre simultaneamente nas cidades de Planaltina de Goiás, Goiânia, Formosa e na cidade-satélite do Guará, no Distrito Federal.

Em nota, o Ministério Público informou que a operação é coordenada pelo promotor Rafael Simonetti, da 4ª Promotoria de Planaltina de Goiás em parceria com o Centro de Inteligência do MP e conta com a participação de 15 promotores de Justiça, e apoio do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado do Entorno do DF; do Centro de Inteligência e do Gaeco do MP-DFT; da Polícia Civil com a atuação de nove delegados e 37 agentes; e da Polícia Militar.

Ao todo, estão sendo cumpridos oito mandados de prisão, sendo cinco temporárias e três preventivas, além de 14 mandados de busca e apreensão contra empresários suspeitos de terem participado de fraude nas licitações da reforma do prédio do poder legislativo de Planaltina.

Durante as investigações, o MP detectou que o atual prefeito da cidade, que na época da apuração dos fatos era presidente da Câmara de Planaltina, teria fraudado contratações de empresas e superfaturado obras, além de ter desviado recursos do erário público.

De acordo com o Ministério Público, esta é a primeira vez que um juiz de primeira instância, Carlos Gustavo Fernandes de Moraes, determina a prisão de um prefeito, após decisão do Supremo Tribunal Federal sobre foro privilegiado ocorrida em maio deste ano.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara