Recursos caem 44% e Forças Armadas preveem 'colapso'

Operações como a do Rio podem ser afetadas - Crédito: Fabio Motta/Estadão

Nos últimos cinco anos, os recursos das Forças Armadas foram reduzidos em 44,5%: só as verbas "discricionárias" caíram de R$ 17,5 bilhões para R$ 9,7 bilhões. Integrantes do Alto Comando de Exército, Marinha e Aeronáutica alertam para risco de "colapso" e dizem que só há dinheiro para cobrir gastos até o mês que vem.

Além de cortes em despesas básicas, contratos de troca de armas estão congelados e cursos, suspensos. Na quarta-feira, unidade de Mato Grosso do Sul pediu ajuda para pagar luz. O Planejamento diz que se "esforça" para resolver os problemas.

Em meio à grave crise econômica do País, com fábricas ociosas e demissões, a indústria automobilística está intensificando o processo de robotização. Grande parte dos robôs foi adquirida nos últimos quatro anos, período em que a produção de veículos caiu 32% e o total de funcionários baixou 21%, perdendo 30 mil vagas.


Já no âmbito da crise política, o vereador pelo Rio César Maia, pai do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse ao 'Estado' que o ministro do STF Edson Fachin e o procurador-geral Rodrigo Janot foram os responsáveis pelo fortalecimento do Centrão. Na entrevista, ele ainda ressalta que o seu partido, o DEM, não deve estar "a reboque" do PSDB em 2018.

Do Estadão

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO