Recursos caem 44% e Forças Armadas preveem 'colapso'

Operações como a do Rio podem ser afetadas - Crédito: Fabio Motta/Estadão

Nos últimos cinco anos, os recursos das Forças Armadas foram reduzidos em 44,5%: só as verbas "discricionárias" caíram de R$ 17,5 bilhões para R$ 9,7 bilhões. Integrantes do Alto Comando de Exército, Marinha e Aeronáutica alertam para risco de "colapso" e dizem que só há dinheiro para cobrir gastos até o mês que vem.

Além de cortes em despesas básicas, contratos de troca de armas estão congelados e cursos, suspensos. Na quarta-feira, unidade de Mato Grosso do Sul pediu ajuda para pagar luz. O Planejamento diz que se "esforça" para resolver os problemas.

Em meio à grave crise econômica do País, com fábricas ociosas e demissões, a indústria automobilística está intensificando o processo de robotização. Grande parte dos robôs foi adquirida nos últimos quatro anos, período em que a produção de veículos caiu 32% e o total de funcionários baixou 21%, perdendo 30 mil vagas.


Já no âmbito da crise política, o vereador pelo Rio César Maia, pai do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse ao 'Estado' que o ministro do STF Edson Fachin e o procurador-geral Rodrigo Janot foram os responsáveis pelo fortalecimento do Centrão. Na entrevista, ele ainda ressalta que o seu partido, o DEM, não deve estar "a reboque" do PSDB em 2018.

Do Estadão

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Obras da PE-160 seguem em ritmo acelerado

CARLINHOS DA COHAB: "Sou um soldado do grupo e pronto para defender a candidatura de Zé e pedir voto pra ele"

Corpo de Guilherme Uchoa é velado na Assembleia Legislativa de PE

MORO DESOBEDECE TRF-4 E NÃO SOLTA LULA