Michele Collins pede educação domiciliar para crianças com doenças raras


O requerimento aprovado em plenário tem o objetivo de garantir a educação fora do ambiente escolar para crianças com deficiências e doenças raras 

A Câmara do Recife aprovou durante a sessão ordinária desta segunda-feira (11), requerimento de autoria da vereadora Missionária Michele Collins (PP), que solicita ao Poder Executivo, educação domiciliar para crianças e adolescentes com doenças raras em todo o Recife. O objetivo é que sejam implementadas medidas que garantam a educação fora do ambiente escolar, ou seja, em suas residências, para todos os estudantes que tenham alguma deficiência ou doenças raras.

“A iniciativa busca a garantia de um ensino condizente para quem não possui condições de frequentar a sala de aula. Nosso desejo é assegurar que todo estudante com alguma doença rara ou deficiência que o impossibilite de comparecer ao ambiente escolar, tenham um melhor aproveitamento do conteúdo que compõe a grade curricular das unidades municipais de ensino, baseado em um atendimento adequado a este público-alvo” destacou Michele Collins, autora da proposta.

A indicação foi encaminhada ao gestor municipal e ao secretário de educação do Recife, Fred Amâncio, com o ideal de que sejam somados esforços para que a medida seja implantada na cidade.

Voto Contrário - A indicação da vereadora Missionária Michele Collins foi apreciada e aprovada pelos parlamentares durante a reunião ordinária. O único parlamentar que votou pela não aprovação da indicação foi o vereador Ivan Moraes (PSOL).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado