A incógnita sobre o caminho do PSDB em 2022



Presidido pela prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, o PSDB de Pernambuco perdeu espaço nas últimas eleições, quando não elegeu nenhum deputado federal e elegeu apenas uma deputada estadual, que foi Alessandra Vieira. Apesar de ter a pré-candidatura da prefeita de Caruaru a governadora, o partido é tido como uma legenda que não terá tropa, haja vista que não tem chapa pra federal e teria dificuldades de montar as condições de renovar o mandato de Alessandra, caso ela tente a reeleição pela legenda tucana.

Neste contexto, algumas pessoas acreditam que apesar de ser uma excelente candidata e ter uma boa narrativa, Raquel Lyra teria dificuldades práticas de montar o PSDB, porque não teria tropa suficiente para colocar o bloco na rua, o que a obrigaria a apoiar outro projeto na seara oposicionista, cujos pré-candidatos são Anderson Ferreira (PL) e Miguel Coelho (União Brasil).

O prefeito de Jaboatão teria uma certa vantagem em receber o apoio de Raquel Lyra, caso ela não topasse deixar a prefeitura para candidatar-se ao Palácio do Campo das Princesas no próximo ano, uma vez que a relação dos Lyra com os Ferreira é melhor do que com os Coelho, porém nem todo o PSDB estaria inclinado a apoiar Anderson Ferreira, há informações que Alessandra Vieira e Armando Monteiro, em caso de desistência de Raquel Lyra, poderiam convergir dentro da sigla para o projeto de Miguel Coelho. Faltando poucos meses para a definição, o posicionamento do PSDB permanece uma incógnita, e evidencia que está longe de chegar a uma decisão que seja satisfatória para o conjunto de forças da oposição em 2022.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Em 2020, Governo Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado