"Estava evidente que a população não queria a continuação da Gestão Vieira", diz Júnior Gomes

Ex-vereador participou do programa Olhando pra Frente, na Interativa FM

Na última terça-feira, o programa Olhando pra Frente da Rádio Interativa FM contou com a participação do ex-vereador e ex-presidente da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, Júnior Gomes, que falou um pouco sobre a atual formação e atuação dos membros da Casa Dr. José Vieira de Araújo.

Apontando erros e acertos, e também reiterando que ainda estamos nos primeiros meses de mandato, Júnior Gomes se mostrou esperançoso. "Partindo da presidência, vejo que tiveram alguns acertos e atropelos no início da gestão. Espero do fundo do coração que Capilé consiga, em sua caminhada, fazer uma gestão elogiável, eficiente e eficaz. Quem ganha com isso é a população", disse.

O ex-vereador também destacou a importância dos atuais representantes da população "fazerem a coisa funcionar. Os dezessete vereadores tem uma capacidade muito grande. Evidente que existem excessos e questões que não fazem muito bem à população, mas acredito que todos os que estão na Casa, independente de lado político, tem a capacidade para desempenhar um bom papel".

Analisando o resultado das eleições de 2020 Júnior foi categórico:

"Estava evidente que a população não queria a continuação da Gestão Vieira"

Júnior declarou também que criação do "Grupo Verde" se deve muito pela migração de pessoas do "Grupo Azul". De acordo com ele, desde a eleição do ano de 2018, "a população já mostrava descontentamento com a gestão do ex-prefeito Edson Vieira".

"Se você pegar a votação de Alessandra Vieira e você pegar a votação de Diogo Moraes e Tallys Maia e Cleiton Barbosa, que eram oposição, você já tem o cenário de que as pessoas não queriam mais a continuação da gestão de Edson", disse. 

Júnior Gomes também comentou sobre o surgimento do Grupo Verde no município, ao qual ele diz ser de grande maioria ex-aliados da antiga gestão da Prefeitura. "Eu sempre dizia se você observar o grupo verde 80% eram advindos do grupo de situação da época, outra parcela não tinham partido e uma pequena parcela vinha do vermelho".

Ainda sobre as eleições municipais de 2020, o ex-vereador afirmou estar evidente na época que o então grupo de situação não teria continuação. "O candidato que Edson queria nunca foi Dida de Nan, o que o enfraqueceu mais ainda. Com isso, as pessoas  começaram a migrar e Allan colou sua candidatura. Na eleição, a população já tinha em mente que queria que a oposição assumisse a Prefeitura, mas ficaram em dúvida sobre quem iria assumir, se vermelho ou verde, mas não queriam azul de forma alguma, isso estava evidente".

Quanto ao futuro político Júnior disse que não será mais candidato a nenhum cargo eletivo e em 2022 vai votar em quem o grupo Taboquinha apoiar

Edição: Jorge Luis

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Filho deve substituir Aragão candidato em Santa Cruz