Ministério da Saúde investiga morte de grávida após dose de AstraZeneca, e Anvisa suspende vacinação






Diario do Nordeste

Pasta afirma que recebeu notificação do óbito pelas secretarias de saúde municipal e estadual do Rio de Janeiro

Legenda: Doses de AstraZeneca para gestantes devem ser suspensas
Foto: Michael Dantas/AFP

O Ministério da Saúde apura o caso de uma mulher grávida que faleceu no Rio de Janeiro depois de receber a vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca. A Pasta federal ponderou que "reavalia a imunização no grupo de gestantes sem comorbidades". Ao mesmo tempo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou à noite a suspensão imediata da aplicação do imunizante em grávidas.

"O Ministério da Saúde informa que foi notificado pelas secretarias de Saúde Municipal e Estadual do Rio de Janeiro e investiga o caso. Cabe ressaltar que a ocorrência de eventos adversos é extremamente rara e inferior ao risco apresentado pela Covid-19. Neste momento, a pasta recomenda a manutenção da vacinação de gestantes, mas reavalia a imunização no grupo de gestantes sem comorbidades", disse no comunicado.

SUSPENSÃO

Embora a Pasta tenha orientado a continuidade da imunização, a Anvisa divulgou nota técnica orientando que a vacina AstraZeneca/Fiocruz seja interrompida para grávidas. A agência afirma que a indicação da bula do imunizante deve ser seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI).

"A orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país. O uso 'off label' de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente", justificou a Anvisa.

Ainda conforme a nota oficial, a bula atual da vacina contra Covid da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina sem orientação médica. O órgão não relatou nenhum evento adverso ocorrido em gestantes brasileiras.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Em 2020, Governo Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado