Marília Arraes (PT) e Armando Monteiro (sem partido) se reúnem; aliados apontam costuras visando 2022

Diario de Pernambuco

Instagram / Reprodução

O encontro realizado entre o ex-senador Armando Monteiro (sem partido) e a deputada federal Marília Arraes (PT), na tarde desta terça-feira (26), já está mexendo com os ânimos políticos. Em conversas reservadas, há quem diga que a deputada “está fazendo alianças visando 2022”. Por outro lado, o ex-senador nega a possibilidade de uma aliança no momento. Em entrevista ao Diario, o político negou o que aliados haviam prenunciado sobre assumir comando do PSDB. 

Sobre o encontro entre o ex-parlamentar e a deputada federal, fontes próximas afirmam que: “É bom ficar atento aos movimentos que ela (Marília) vem fazendo”. Uma outra fonte petista prenunciou: "… aos poucos, isso pode sinalizar alguma mudança nos planos de 2022”. 

A despeito disso, o ex-senador negou que tenha sido sobre isto e informou que a visita que Marília (PT) fez foi “meramente cordialidade”. Segundo ele, o assunto 2022 não deve ser pautado agora. Ainda há muito o que ser analisado. Questionado sobre a possibilidade de encabeçar uma chapa com a petista, Monteiro assinalou o seguinte: “(O encontro) Não teve nenhum caráter de discutir essa questão (de aliança) partidária. Falamos da oposição aqui no Estado e na Cidade. Não falamos nada sobre (aliança)”. 

O ex-parlamentar salientou que, diante do espectro político e da conversa que ele teve com Arraes (PT): “Ela vai ficar e continua no partido dela” - referindo-se ao PT. Embora tenha negado e afirmado que Marília (PT) tenha interesse em ficar no Partido dos Trabalhadores, como a reportagem do Diario assinalou há pouco, há quem reforce a tese de saída da petista e diga que “Isso de Armando é apenas uma cortina de fumaça para disfarçar o jogo”. 

A deputada Teresa Leitão (PT) foi procurada pela reportagem. Acerca desta reunião, a deputada disparou: “Marília tem liberdade para fazer os contatos que ela achar conveniente fazer”. 

Sobre o destino do partido para 2022, a correligionária de Marília (PT) destacou que ainda não há planos. “Não tem nada decidido sobre o destino do PT em 2022 ainda não. Tem etapas e essas etapas estão vinculadas à decisão do diretório nacional do PT”, deixou explícito em entrevista ao Diario. Sobre o posicionamento do partido no governo, Leitão (PT) engatilhou: “Tem petista que não está observando o que o partido prescreveu”. 

Em sua rede social, Marília escreveu: "Conversamos bastante sobre Pernambuco e sobre o Brasil. É sempre bom trocar experiência e dialogar com quem, assim como nós, tem uma visão ampla para pensar no futuro, apesar das dificuldades do presente".

Por ora, nada de assumir comandos

Sobre assumir o comando do PSDB, Armando assinalou o seguinte: “Não estou discutindo assumir comando de nenhum partido no momento... não vou discutir sobre o ingresso em uma legenda para exigir comando. Converso bastante com o PSDB e tenho amigos. Sou amigo do presidente Bruno, tenho boas relações com a prefeita Raquel Lyra e com João Lyra Filho, existem várias lideranças que tenho relações muito boas”, negando a possibilidade de assumir a sigla no estado. “Converso com esses atores políticos, mas não discuto, nem vou discutir comando de partido. Isso não está no radar”, finalizou Monteiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Em 2020, Governo Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado