Anvisa decide neste domingo (17/1) sobre uso emergencial de vacinas

Serão avaliados os dossiês da Fiocruz, responsável pela vacina de Oxford com a AstraZeneca, e do Butantan, 
produtor da CoronaVac

BL Bruna Lima
Correio Braziliense

(crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O próximo domingo (17/1) é decisivo em relação à liberação do uso emergencial de vacinas contra a covid-19 no Brasil. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reunirá para decidir sobre os pedidos protocolados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Butantan.

A meta da Anvisa é dar a resposta final em 10 dias após as solicitações, tendo sido a reunião decisória marcada para o penúltimo dia do prazo. "Para tanto, faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares", alerta a agência, por meio de nota oficial.

Os documentos enviados pela Fiocruz, responsável pela vacina de Oxford com a AstraZeneca, passaram pelo processo de triagem inicial da Anvisa. Mas do Butantan, que produz a CoronaVac em parceria com a SinoVac, foram requisitadas informações adicionais.

O Instituto Butantan informou, nessa segunda-feira (11), que irá entregar ainda nesta semana toda a documentação pendente à Anvisa, para que o órgão possa prosseguir com a análise do uso emergencial do imunizante. Ainda é preciso entregar 5,5% dos dados sobre a CoronaVac e complementar outros 50,9%.

A Anvisa garantiu que daria continuidade às análises com os dados já prestados, "de modo a agilizar o máximo possível o processo de avaliação e autorização de vacinas covid-19".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Em 2020, Governo Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado