Bolsonaro diz que possui um dossiê com plano de Maia, Doria e STF contra ele

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO. FOTO: PR

Sem apresentar nenhuma prova, o presidente volta a falar sobre documentos de inteligência para provar sua teoria sobre algo

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre documentos de inteligência para provar sua teoria sobre algo. Dessa vez o capitão disse, em uma reunião com líderes do Congresso nesta quinta-feira 17, que ele possui um dossiê provando um plano do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/-RJ), do governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e de integrantes do STF para tirá-lo da presidência.

Segundo divulgou a Folha de S. Paulo, o presidente fez essa acusação, mas não apresentou a nenhum deputado ou senador qualquer prova do suposto plano arquitetado.

Essa não é a primeira vez que Bolsonaro apresenta esse tipo de argumento. Em março, o capitão disse que a eleição de 2018 foi fraudada e que tinha provas, mas nunca as mostrou. No mesmo mês, deixou no ar alguma informação privilegiada sobre o coronavírus, dizendo que a população logo saberia que estava sendo enganada por governadores e prefeitos, mas também nunca apresentou.

Leia também:
E o clima parece estar tenso entre o presidente e o Congresso. Mais cedo, Bolsonaro já havia alfinetado o presidente da Câmara. Os dois trocaram farpas após o Palácio do Planalto trocar Luiz Henrique Mandetta por Nelson Teich, na chefia do Ministério da Saúde.

Em entrevista à CNN, Bolsonaro disse que Maia parece estar conspirando contra a cúpula do governo e quer “esculhambar” a economia para criar boas condições às eleições de 2022.

“Lamento a posição do Rodrigo Maia. Ele resolveu assumir o papel do Executivo com ataques bastante contundentes à nossa posição”, afirmou. “Não pode agir dessa maneira, jogar todos os governadores contra mim, para o Senado aprovar essa proposta. A gente não aguenta isso. Qual o objetivo do senhor Rodrigo Maia, resolver o problema ou atacar o presidente da República? Ele não quer amenizar os problemas, ele quer atacar o governo federal, enfiando a faca no governo federal. Parece que a intenção é me tirar do governo.”

Momentos depois, o presidente da Câmara respondeu às críticas do chefe do Planalto e afirmou que não revidará aos ataques, mas disse que Bolsonaro recorre a uma “tática” para fugir do principal debate público.

“O presidente ataca como um velho truque da política. Quando você tem uma notícia ruim, como a demissão do ministro Mandetta, ele quer trocar o tema da pauta. O nosso tema continua sendo a Saúde. Continua sendo as ações que foram conduzidas pelo ministro Mandetta, e agora estão sendo construídas pelo novo ministro”, declarou.

O presidente da Câmara voltou a defender o socorro financeiro aos estados e condenou que os conflitos políticos entre Bolsonaro e os governadores prevaleçam sobre a crise do novo coronavírus.

Maia afirmou ainda que a saída de Mandetta “assusta a população brasileira”, já que o Ministério da Saúde passa por uma troca de comando no meio de uma pandemia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS