Após caos econômico, dólar abre com forte queda; mercado europeu tem dia de recuperação

Moeda americana começou esta sexta-feira, 13, cotado a R$ 4,71

Redação, O Estado de S.Paulo

Depois de ultrapassar os R$ 5 na abertura das negociações da última quinta-feira, 12, o dólar começou esta sexta-feira, 13, cotado a R$ 4,71, às 09h06. Isso representa uma queda de cerca de 1,5%, em relação ao valor final do dia anterior, R$ 4,78, recorde nominal para a moeda americana no fechamento do mercado. Na quinta, o preço começou a ter uma queda abaixo de R$ 4,80 após injeção de liquidez por parte do Federal Reserve (Fed, na sigla em inglês), o banco central americano. 


Pouco tempo depois, por volta das 09h18, a moeda americana chegou na mínima do dia, a R$ 4,68, uma queda de cerca de 2% em relação ao dia anterior. 

Dólar Foto: Reuters

O mercado europeu opera em forte alta na manhã desta sexta-feira, ensaiando uma recuperação após o tombo histórico do índice pan-europeu Stoxx 600 na véspera e na esteira de medidas anunciadas pelos bancos centrais da China e do Japão para amenizar o impacto econômico do coronavírus. Na quinta, o Stoxx 600 registrou a queda inédita de 11%, após o presidente americano, Donald Trump, decidir suspender todos os voos da Europa para os EUA por um período de 30 dias, abrindo exceção para o Reino Unido. Às 8h11 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 5,45%, a de Frankfurt avançava 4,86% e a de Paris se valorizava 5,97%. Em Milão, Madri e Lisboa, os ganhos eram de 11,61%, 8,26% e 6,22%, respectivamente. Já o Stoxx 600 tinha alta de 5,02%, a 311,40 pontos. 

Na Ásia, os pregões asiáticos sentiram os impactos e, mesmo conseguindo diminuir um pouco as perdas ao final das negociações, fecharam em baixa, na madrugada desta sexta-feira, 13. As situações mais graves foram no Japão, onde o índice Nikkei chegou a bater em (-10%), fechando com (-6,08%), e na Coreia do Sul, que teve que acionar "circuit breaker", quando as negociações param por um determinado período, fechando com recuo de 3,43%.

ETF braslieira nos EUA 

O iShares MSCI Brazil (EWZ), como é conhecido o maior fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) do Brasil negociado em Nova York, operava em alta de 9,14% nos negócios do pré-mercado às 8h38 (de Brasília), segundo dados do site MarketWatch. Minutos antes, o mesmo site apontava uma forte queda do EWZ. O fundo de índice funciona "espelhando" índices econômicos de países em uma cesta feita para investidores. / SERGIO CALDAS E FELIPE SIQUEIRA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS