Gestão Consorciada dos Resíduos Sólidos é avaliada como diretriz para PDUI/RMR


A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Pernambuco (Seduh/PE) e a Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem), promoveram, nesta quarta-feira (02), reunião técnica sobre Resíduos Sólidos Urbanos. O objetivo do encontro foi apresentar o estudo de Gestão Consorciada de Resíduos Sólidos na Região Metropolitana do Recife (RMR) para avaliar as diretrizes a serem incorporadas ao Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana do Recife (PDUI/RMR).

A abertura do evento foi realizada pelo secretário-executivo de Políticas e Parcerias da Seduh, Marcelo Sandes, e pela diretora da Agência Condepe/Fidem, Sônia Calheiros, que representou a presidente Sheilla Pincovsky. O auditório da Agência ficou lotado com a presença de secretários municipais e gestores dos municípios metropolitanos responsáveis pela gestão dos resíduos sólidos.

Na ocasião, Marcelo Sandes explicou que a Condepe/Fidem avaliou o Estudo de Gestão Consorciada de Resíduos Sólidos da RMR como uma alternativa viável para a questão dos resíduos sólidos. “Pode ser um caminho”, refletiu. Ele também comentou que além deste, outros estudos já foram elaborados. Entre eles, está o Plano de Resíduos Sólidos da RMR, que é um dos seis finalistas do Prêmio Excelência em Competitividade – Destaque Boas Práticas deste ano.  

A premiação é realizada pela CLP - Liderança Pública, organização sem fins lucrativos, responsável, entre outras publicações, pelo Ranking de Competitividade dos Estados. O documento foi produzido pela Seduh em parceria com os municípios do Grande Recife e com o distrito de Fernando de Noronha. O Plano de Resíduos Sólidos tem o objetivo de indicar ações para a adequada gestão dos resíduos sólidos em um horizonte de planejamento de 20 anos, em consonância com as diretrizes nacional, estadual e metropolitana.

Durante a reunião, os técnicos presentes puderam assistir a uma apresentação detalhada sobre a Gestão Consorciada, feita pela gerente de Programa e Estudos Ambientais da Seduh, Ana Gama. Após este encontro, no qual todos puderam trocar informações sobre o consórcio, foi dado um prazo até o dia 11 deste mês para que os municípios conversem internamente e possam se posicionar sobre a questão, que será incorporada posteriormente ao PDUI/RMR.  

Estudo de Gestão Consorciada – O Estudo de Gestão Consorciada foi desenvolvido tendo como base a realidade atual e o contexto histórico dos municípios, considerando a implantação do Consórcio Metropolitano como instrumento para a gestão de resíduos sólidos urbanos, adotando as premissas do Estatuto da Metrópole e de outros instrumentos para o compartilhamento das funções públicas de interesse comum.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Filho deve substituir Aragão candidato em Santa Cruz