ABI pede proteção a jornalista alvo de ameaças após reportar 'Dia do Fogo' no Pará

Adécio Piran, da cidade de Novo Progresso, relatou organização de queimadas de produtores rurais da região e agora recebe ataques

O Globo

Segundo o Inpe, o crescimento do número de queimadas foi de 84% de 2018 para 2019 Foto: UESLEI MARCELINO / REUTERS

RIO — A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) enviou uma carta ao governador do Pará, Helder Barbalho, com um apelo de proteção ao jornalista Adécio Piran, neste domingo. Piran é autor de reportagem que revelou a organização do chamado "Dia do Fogo" por produtores rurais da região de Novo Progresso, a 1,6 mil quilômetros de Belém.

No último dia 5, Piran publicou uma reportagem revelando a intenção de produtores rurais de realizar um “dia do fogo”, o que, de fato, aconteceu no dia 10, segundo registro do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe). Nesse dia foram verificados 124 episódios de queimadas, um recorde de ocorrências até então. No dia seguinte, 11 de agosto, o número de focos saltou para 203.

De acordo com a ABI, Piran vem sofrendo ameaças e é alvo de panfletos apócrifos com ofensas graves, além de ataques por mensagens de WhatsApp.

O Ministério Público Federal (MPF) abriu quatro investigações para apurar as causas do aumento do desmatamento e das queimadas na região amazônica . Os inquéritos investigam a redução das fiscalizações ambientais na região e um anúncio publicado em um jornal do interior do Pará convocando fazendeiros a promoverem o “Dia do Fogo”.

A abertura das investigações foi divulgada em meio à crise no governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) causada pelo aumento dos índices de desmatamento e de queimadas neste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Em relação ao desmatamento, dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam o número de alertas de desmatamento aumentaram 278% em junho de 2019 em comparação com o mesmo mês em 2018. Ainda segundo o Inpe, o crescimento no número de queimadas foi ainda maior: 84% de um ano para o outro.

De acordo com o órgão, o MPF vem analisando indícios de que os órgãos de proteção ambiental têm diminuído as ações de fiscalizações no Pará, um dos estados mais afetados tanto pelo desmatamento quanto pelo aumento das queimadas.

'Dia do Fogo'

De acordo com as investigações, o “Dia do Fogo” foi convocado em um jornal do município de Novo Progresso, no sul do Pará. Neste dia, dezenas de produtores rurais teriam ateado fogo em suas propriedades para dar uma demonstração de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Ainda segundo o MPF, os procuradores questionaram o Ibama sobre se haveria alguma ação preventiva para impedir a realização do “Dia do Fogo”, mas foram informados que, sem o apoio da Polícia Militar, as ações de fiscalização do Ibama ficariam prejudicadas.

Nos últimos meses, o governo demitiu o ex-diretor do Inpe Ricardo Galvão e se desentendeu com os governos da Alemanha e Noruega, dois dos principais financiadores do Fundo Amazônia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÉDICOS CUBANOS GANHAM DESPEDIDA, NA SEDE DA UESCC, EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE