Colapso da Barragem de Tabocas leva Compesa a promover ajustes no calendário de abastecimento para Caruaru


A falta de chuvas durante o período de inverno nas áreas de influência da Barragem de Tabocas, localizada na zona rural de Caruaru, deixou o reservatório em situação de pré-colapso e hoje se encontra com apenas 0,98% de sua capacidade. A situação do manancial, responsável pelo atendimento do município de Santa Cruz do Capibaribe, levou a Companhia Pernambucana de Saneamento -Compesa  a recorrer ao Sistema Prata-Pirangi para socorrer essa cidade do agreste pernambucano. Para viabilizar essa operação, foi necessário promover alteração no calendário de Caruaru, que entrou em vigor no dia 20 de agosto. No novo regime de rodízio, serão cinco dias com água e 15 sem. Antes, o abastecimento era de cinco dias com água e dez sem. Já nas localidades de Contendas, Juriti, Rafael, Cachoeira Seca, Juá, Lajes, Jacaré Grande, Malhada de Barreira Queimada, Gonçalves Ferreira e Jacaré de Gonçalves Ferreira, na zona rural do município, o abastecimento será suspenso pela rede e o atendimento será feito por meio de carros-pipa, que alimentarão os pontos de distribuição de água em áreas estratégicas dessas localidades.
A Companhia reforça que a alteração no regime de abastecimento é provisória, tendo em vista que, no primeiro semestre do próximo ano, serão concluídas duas grandes obras hídricas estruturadoras: as adutoras do Alto do Capibaribe e de Serro Azul, que estão sendo executadas em ritmo acelerado e levarão segurança hídrica, a partir da água captada na Transposição do Rio São Francisco para 16 cidades do Agreste, entre elas, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe,  cidades que, historicamente, sofrem com ciclos de seca extrema.
A Adutora do Alto Capibaribe é uma obra especial por ser  interestadual, uma das poucas do país com grandes extensões, cortando  dois estados diferentes, Pernambuco e Paraíba. Mais de 40% das tubulações já foram assentadas, ao longo de 28 quilômetros, entre a captação no município paraibano de Barra de São Miguel e a divisa com Pernambuco, em Santa Cruz do Capibaribe. A nova adutora terá ao todo 70 quilômetros e fará a captação da água da Transposição no Rio Paraíba, na Paraíba, por meio de um Termo de Cooperação Técnica e Administrativa. Além de Santa Cruz, serão beneficiadas Toritama, Jataúba, Taquaritinga do Norte, Vertentes, Frei Miguelinho, Santa Maria do Cambucá e Vertente do Lério, e o distrito de São Domingos, em Brejo da Madre Deus, e também a cidade de Barra de São Miguel, localizada no Cariri Paraibano. A obra recebe o investimento de R$ 82 milhões, recursos financiados junto a Caixa Econômica Federal/ FGTS. 
A partir da Barragem de Serro Azul, em Palmares, está sendo implantado um novo sistema adutor, com 58 quilômetros de extensão e capacidade para transportar 500 litros de água, por segundo, para atender 1 milhão de pessoas nas cidades de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Bezerros, Gravatá, São Caetano, Belo Jardim, Sanharó, São Bento do Una e Tacaimbó. A Adutora de Serro Azul recebe o investimento de R$ 200 milhões, fruto de um convênio do Governo do Estado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e ainda será composta por quatro estações elevatórias e um reservatório com capacidade para acumular 4,5 mil metros cúbicos de água. 51% das tubulações foram assentadas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÉDICOS CUBANOS GANHAM DESPEDIDA, NA SEDE DA UESCC, EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE