Fortes chuvas deixam rastro de mortes e destruição no Grande Recife

As chuvas torrenciais trouxeram junto com elas dor e sofrimento para as famílias das 11 pessoas mortas após a queda de uma árvore e deslizamentos de barreiras

Em Abreu e Lima, cinco pessoas morreram num deslizamento de barreira
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Marcelo Aprígio
maprigio@sjcc.com.br
JC ONLINE

As fortes chuvas que atingem a Região Metropolitana do Recife (RMR) desde a tarde dessa terça-feira (23) deixaram rastro de destruição por onde passaram e trouxeram junto com elas dor e sofrimento para as famílias das 11 pessoas mortas após a queda de uma árvore e deslizamentos de barreiras, entre a madrugada e a manhã desta quarta-feira (24).

De acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), as chuvas devem diminuir nesta quinta-feira (25). Somente nesta quarta-feira, foram registradas quatro mortes em Olinda, quatro em Abreu e Lima e três no Recife. Uma mulher identificada como Ariana Tereza Xavier da Silva, de 39 anos, foi retirada com vida dos escombros no bairro de Caetés, Abreu e Lima, e a sua filha, de 19 anos, ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A mais velha foi levada para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, na RMR, e está em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade de saúde. Segundo a assessoria do hospital, a vítima passou por procedimento cirúrgico nesta tarde. 

Na noite desta quarta, o Corpo de Bombeiros informou que ainda estava à procura de uma jovem de 22 que está grávida e está há mais de 12 horas desaparecida, quando o relógio marcava 21h. 

Muita lama e destroços. Esse foi o cenário visto após uma barreira deslizar e matar um casal de idosos na rua Ageu, bairro de Passarinho, Zona Norte do Recife. As vítimas estavam dentro de casa quando, na madrugada desta quarta-feira (24), foram surpreendidas pelo barro. A residência dos idosos, reformada recentemente, ficou destruída. No local, para evitar uma tragédia ainda maior, os Bombeiros interditaram várias casas que têm risco de desabamento, porque as constantes chuvas fazem com que, a todo momento, a barreira continue deslizando. 


Até o final da manhã desta quarta, o corpo do idoso continuava desaparecido e a corporação aguardava a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) desligar o fornecimento de energia na área para continuar o resgate, que passam de cinco horas. Mesmo diante do risco de novos deslizamentos de terra, vizinhos do casal se uniram aos Bombeiros para ajudar nas buscas pelo corpo da segunda vítima.

No mesmo bairro, outras duas pessoas morreram após o deslizamento de uma barreira na Estrada do Passarinho. Elas foram identificadas apenas como Elisângela e Diego.

A Zona Norte do Recife também viu outra tragédia acontecer. Por volta das 4h da manhã desta quarta-feira (24), uma árvore caiu em cima da casa de Josafá Barbosa da Costa, conhecido por seus amigos e vizinhos como Zezinho, no Córrego do Curió, em Dois Unidos. Ele trabalhava como pedreiro e ficou soterrado após conseguir tirar seus filhos de dentro de casa. "Ele saiu com os filhos, deixou eles do lado de fora e tentou voltar para pegar um objeto, móveis e infelizmente não deu", contou um morador da localidade.

Ainda de acordo com a testemunha, vizinhos tentaram ajudar Zezinho, mas não conseguiram. "Infelizmente, a gente só escutou os gritos. Saímos de casa para tentar ajudar, mas infelizmente não teve condições", lamentou.

Nas ruas Arcoverde e Aquarela, no bairro de Águas Compridas, em Olinda, duas pessoas morreram. Elas foram identificadas como Abraão Batista da Silva, 25 anos, e Iraci Maria da Conceição, 78, respectivamente. 

Em entrevista à TV Globo, o secretário executivo de Defesa Civil de Pernambuco, coronel Lamartine Barbosa, informou que os locais onde aconteceram os desastres eram todos monitorados pelas Defesas Civis das cidades. Apesar disso, não foi possível evitar as tragédias.

Veja a identificação das vítimas:

Recife: 
Josafá Barbosa da Costa, 34 anos -  Dois Unidos
Natalicio Vicente da Silva, 69 anos - Passarinho
Ivonete Maria da Silva, 63 anos - Passarinho

Olinda
Abraão Batista da Silva, 25 anos - Águas Compridas
Iraci Maria da Conceição, 78 anos -  Águas Compridas
Elisângela, idade não revelada - Passarinho
Diego, idade não revelada - Passarinho

Abreu e Lima
Mariana, 19 anos - Caetés
Luiz Henrique, 15 anos - Caetés
Silvano, idade não revelada - Caetés
Adalmir, 50 anos - Caetés

GALERIA DE IMAGENS

Deslizamento de barreira em Caetés I, no município de Abreu e Lima

Legenda
Anteriores
  • Foto%3A%20Leo%20Motta/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Leo%20Motta/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Leo%20Motta/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Leo%20Motta/JC%20Imagem
Próximas




Acumulado de chuvas


No Recife, foram registrados 39 mm de precipitação nas últimas 24 horas. Em Goiana, 139 mm e em São Lourenço da Mata, 34 mm.

Diante da persistência das chuvas, a Defesas Civis ratificam a orientação para que os moradores das áreas de risco deixem seus imóveis, devido ao solo encharcado por causa das chuvas que caem sobre a capital desde o final de semana e busque locais seguros.

Em caso de dúvidas, os órgãos podem ser acionados por meio dos telefones:

Defesa Civil do Estado de Pernambuco - (81) 3181 2490
Defesa Civil do Recife - 0800 081 3400 / (81) 3355 2115
Defesa Civil de Olinda - 0800 281 2112 / (81) 99266 5307
Defesa Civil de Jaboatão dos Guararapes - 0800 281 2099 ou (81) 99195 6655
Defesa Civil de Abreu e Lima - (81) 9987366296


Alagamentos


Devido às chuvas, diversas ruas amanheceram alagadas. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a BR-101, no bairro da Guabiraba, no quilômetro 61, ficou alagada nos dois sentidos. Na Zona Sul do Recife, a Avenida Mascarenhas de Morais registrou diversos pontos de alagamento, nos dois sentidos. Na Zona Oeste, na Avenida Doutor José Rufino, perto do Colégio Visão, teve bastante acúmulo de água na via. 

Em Olinda, diversas ruas ficaram alagadas. A PE-15, na Cidade Tabajara, ficou bastante alagada, assim como Jardim Atlântico. Por causa dos alagamentos, os terminais integrados de Pelópidas Silveira e de Igarassu tiveram a operação comprometida. Confira a íntegra da nota enviada pelo Grande Recife Consórcio de Transporte. 

Em virtude das fortes chuvas que caem na Região Metropolitana desde a madrugada desta quarta-feira (24), o Grande Recife informa que o início da operação nos terminais integrados de Pelópidas Silveira e Igarassu foi comprometida. Pontos de alagamento se formaram na PE-15, na altura de Cidade Tabajara; na BR-101, próximo à Guabiraba; e na Caxangá, em frente ao TI CDU e no cruzamento com a BR-101, o que tem dificultado a passagem das linhas nestas regiões. Desde cedo, equipes do Consórcio estão nas ruas monitorando a operação e fazendo os devidos ajustes.

Segundo a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), equipes com 200 agentes e 140 orientadores de trânsito atuam nas áreas que foram afetadas pela chuva no Recife.

Trotes


Mesmo em meio a tanto sofrimento, o número de trotes chama a atenção. No plantão da terça e da quarta-feira do Samu foram registrados 41 trotes. Quase o dobro do número número de ocorrências em que foram enviadas ambulâncias (22). Ao ligar para comunicar uma falsa denúncia, o passador de trote rouba a oportunidade de socorro de uma pessoa que realmente precisa da ajuda do Samu. O preço da brincadeira pode custar uma vida.

Durante as férias escolares, nos meses de julho e janeiro, aumenta o alerta em relação às chamadas na central de teleatendimento do Samu do Recife.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara