“Derrota não é minha, tenho arma”, diz Bolsonaro sobre decisão do Senado

O decreto foi rejeitado por 15 votos a 9 na comissão e o governo não tem votos suficientes para tentar reverter a decisão no Plenário

MARCOS CORRÊA/PR

Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ironizou a derrota que o governo teve no Senado na última quarta-feira (12/06/2019), quando o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), que apoiava a medida, foi rejeitado na Comissão de Constituições e Justiça (CCJ) da Casa. “Perdemos no Senado, mas a derrota não é minha. Eu já tenho uma arma”, argumentou Bolsonaro.

O decreto foi rejeitado por 15 votos a 9 na comissão e o governo não tem votos suficientes para tentar reverter a decisão no Plenário, em votação que está marcada para o próximo dia 18 de junho. “A doutrina jamais vai admitir revólver de madeira”, ironizou o presidente.

Ao comentar a aprovação dos créditos complementares (PLN-04), Bolsonaro disse que o entendimento conseguido na Câmara pela sua articulação política foi “coisa rara”. “Se não votasse esse buraco no orçamento, [dinheiro] não viria de mim. Houve entendimento no Parlamento. Coisa rara!” enfatizou o presidente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara