“Derrota não é minha, tenho arma”, diz Bolsonaro sobre decisão do Senado

O decreto foi rejeitado por 15 votos a 9 na comissão e o governo não tem votos suficientes para tentar reverter a decisão no Plenário

MARCOS CORRÊA/PR

Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ironizou a derrota que o governo teve no Senado na última quarta-feira (12/06/2019), quando o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), que apoiava a medida, foi rejeitado na Comissão de Constituições e Justiça (CCJ) da Casa. “Perdemos no Senado, mas a derrota não é minha. Eu já tenho uma arma”, argumentou Bolsonaro.

O decreto foi rejeitado por 15 votos a 9 na comissão e o governo não tem votos suficientes para tentar reverter a decisão no Plenário, em votação que está marcada para o próximo dia 18 de junho. “A doutrina jamais vai admitir revólver de madeira”, ironizou o presidente.

Ao comentar a aprovação dos créditos complementares (PLN-04), Bolsonaro disse que o entendimento conseguido na Câmara pela sua articulação política foi “coisa rara”. “Se não votasse esse buraco no orçamento, [dinheiro] não viria de mim. Houve entendimento no Parlamento. Coisa rara!” enfatizou o presidente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara