Damares defende abstinência sexual de jovens e cogita entrar no Tinder

Em entrevista à BBC Brasil, a ministra acredita que o tema deve ser incluído pelas escolas ao tratar sobre sexualidade

LUIZ ALVES - MMFDH

Metrópoles

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, defendeu, em entrevista à BBC Brasil, que as escolas incluam o tema abstinência na educação sexual. Segundo ela, essa seria uma forma de evitar doenças sexuais, como o HIV.

“Existem alguns projetos no Brasil para retardar o início da relação sexual. Inclusive, são citados estudos que falam que se eu retardo um ano o inicio da relação sexual dessa menina, eu posso salvar a vida dela”, afirmou a ministra.


De acordo com ela, o método mais eficiente para evitar a gravidez “não é a camisinha, não é o DIU, não é ao anticoncepcional, é a abstinência”.

Damares sugere que a orientação sexual para crianças seja feita por profissionais qualificados. “Abrimos para que qualquer pessoa falasse sobre o tema… Houve no Brasil um exagero muito grande com essa história”, opinou.

Tinder

Ao ser questionada sobre o conceito de família tradicional, a ministra disse ser uma família atípica. “Eu sou uma mulher solteira. Solteira não, divorciada, abandonada, querendo casar. Eu até já tirei foto para ir para o Tinder. Cortei cabelo”, disse.

Sobre o aborto, tema de uma Proposta de Emenda à Constituição para que seja proibido em qualquer situação, e do qual ela já disse ser contra, Damares espera que a lei não seja alterada. “A mulher que foi estuprada, que engravidar, tem o direito legal de fazer o aborto e o Estado de garantir isso. A PEC não vai mudar isso. Mas, veja, nós temos que trabalhar é no combate ao estupro no Brasil”, completou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara