Mais de 9.200 vidas foram salvas pelo Pacto Pela Vida nos últimos 12 anos

No aniversário de implementação da política pública de combate e prevenção à violência em Pernambuco, governador Paulo Câmara destacou o esforço de toda a equipe na continuidade das reduções alcançadas nos CVLIs e CVPs

Compromisso, investimento e integração. Foi esse o conjunto de prioridades destacadas pelo governador Paulo Câmara, na manhã desta terça-feira (07.05), como essenciais no desenvolvimento e aprimoramento contínuos da reconhecida política pública de combate e prevenção à violência em Pernambuco, o Pacto Pela Vida. Completando 12 anos de criação neste mês de maio, o PPV já salvou um total de 9.243 vidas em Pernambuco, com trabalhos de prevenção e repressão realizados pelos profissionais de segurança e demais integrantes do programa. Número alcançado, também, em virtude do reforço realizado, neste mesmo período, com a contratação de 18.600 novos agentes das Polícias Militar e Civil e Corpo de Bombeiros. Atualmente, Pernambuco contabiliza 17 meses consecutivos de redução nos registros de homicídios e 20 meses nos de roubos e furtos.

“A gente faz um balanço dos 12 anos justamente olhando para todos os aprendizados, todas as mudanças que precisaram ser feitas, todas as correções de rumo, mas, acima de tudo, mantendo o nosso objetivo, que é salvar vidas. Nestes últimos 12 anos, nós salvamos mais de 9.200 vidas com a implantação do Pacto Pela Vida em Pernambuco”, afirmou o governador em entrevista concedida à Imprensa durante reunião do PPV, no Recife.

Paulo Câmara reforçou o compromisso de permanecer trabalhando para que os números continuem caindo até o final do ano, tornando 2019 um dos melhores anos do Pacto Pela Vida, e para que a população se sinta cada vez mais segura em Pernambuco. “Isso vai exigir mais polícia na rua e mais trabalho de repressão. Mas vamos ampliar também aquilo que a gente entende como fundamental nesse processo, que é a prevenção. A prevenção que se inicia nas escolas”, frisou.

O governador ainda ratificou a importância da união entre as secretarias estaduais e instituições parceiras do PPV para o aperfeiçoamento do programa. “Hoje o Pacto tem uma nova dinâmica, que envolve tanto a repressão como a prevenção e a integração dos Poderes. Também estamos sempre convidando as prefeituras para estarem junto com a gente. Então, é um trabalho conjunto, de contínuo aprimoramento, porque o que nós queremos é salvar vidas”, cravou.

O balanço de vidas salvas é feito comparando cada um dos anos do PPV com o período de 12 meses, entre maio de 2006 e abril de 2007, que antecederam a implantação do programa. Nessa contagem, foram registrados 4.727 homicídios. Considerando os 12 anos seguintes, em 10 deles houve redução dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIS) nesse mesmo recorte. As maiores quedas se deram em 2012 e 2013, com 1.470 e 1.583 vidas salvas, respectivamente. Na análise de anos consecutivos, a retração mais expressiva ocorreu em 2018, na confrontação com 2017 (-23%, ou 1.257 vidas salvas).

O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, destacou alguns projetos importantes realizados ao longo desse período, a partir de decisões tomadas nas reuniões do PPV.  “A Polícia Civil ganhou os departamentos de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) e de Combate à Corrupção (Draco), além do fortalecimento e interiorização das Delegacias da Mulher. A Polícia Militar implantou os dois Batalhões Integrados Especializados do Interior (em Caruaru e Petrolina), o Bope e o Bepi; e a interiorização da Polícia Científica, entre outras ações essenciais para as reduções que estamos alcançando”, pontuou.

QUEDA NOS REGISTROS - O primeiro trimestre de 2019 apresentou a maior redução de homicídios desde 2014. Foram -27,6% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em Pernambuco, no comparativo com o mesmo período de 2018. Houve 896 homicídios entre 1º de janeiro e 31 de março deste ano, contra 1.237 no trimestre do ano anterior. A diferença, portanto, foi de 341 vidas poupadas. Já em relação aos Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVPs), de janeiro a março deste ano, ocorreram menos 4.995 roubos em comparação com o mesmo período de 2018. Uma queda de 19,3% em relação ao trimestre inicial de 2018, resultando na retração de 25.881 ocorrências para 20.886 CVPs.

Fotos: Heudes Regis/SEI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara