'Reunião com Bolsonaro parece ato político e não institucional', diz Luciana Santos para o No Cafezinho

A vice-governadora eleita Luciana Santos (PCdoB) em Pernambuco ainda falou sobre a possibilidade de João Paulo disputar a prefeitura de Olinda ou Jaboatão dos Guararapes em 2020 

Por: FolhaPE 

Presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, falou à coluna digital No Cafezinho, que está no ar nas redes sociais, no Blog e no YouTube da Folha de PernambucoFoto: Arthur de Souza 

Primeira vice-governadora de Pernambuco, a deputada federal Luciana Santos (PCdoB) terá pela frente não apenas a missão de ser uma pioneira no cargo, mas também o desafio de equilibrar suas funções institucional e partidária. Presidente nacional da legenda comunista, a parlamentar terá que conciliar o papel republicano no Palácio das Princesas com o comando de uma das principais siglas de oposição do País. O primeiro compromisso seria a reunião dos governadores eleitos com a equipe do futuro presidente Jair Bolsonaro (PSL) na próxima quarta-feira (12). No entanto, a presença da comunista no ninho liberal da futura gestão não está garantido.

O evento, segundo Luciana Santos, tem contorno mais político do que institucional. Foi convocado pelos governadores eleitos João Doria (São Paulo), Wilson Witzel (Rio de Janeiro) e Ibaneis Rocha (Distrito Federal). "Não é Bolsonaro que está convidando, ele está sendo convidado. Não é uma iniciativa do presidente eleito", afirmou, em entrevista durante o No Cafezinho, nesta segunda-feira (12).

Diante da indefinição, Luciana diz que há resistências e sua participação não está garantida no ato. A ordem é monitorar se outros governadores também cogitam desistir do encontro. A palavra final sobre uma representação do Palácio das Princesas na reunião será do governador Paulo Câmara (PSB) - que está de férias, mas monitora as articulações para o encontro. A vice-governadora eleita afirma já haver sinalizações para desistir do encontro pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e de Alagoas, Renan Calheiros (MDB).

Na conversa com as jornalistas Renata Bezerra de Melo e Carol Brito, Luciana Santos também aposta na ampliação do espaço do PCdoB no Governo Paulo Câmara e diz que a definição sobre uma candidatura de João Paulo em 2020 será tomada junto com a Frente Popular. Olinda e Jaboatão dos Guararapes podem ser alternativas na mesa. No Recife, o cenário é mais complicado com a prioridade do PSB na sucessão de Geraldo Julio (PSB). No cenário nacional, Luciana Santos afirma que a frente de esquerda não deve ter dono e que é preciso convergência no campo político para enfrentar os próximos quatro anos do Governo Bolsonaro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

SETE GOVERNADORES ENCARAM TEMER E DIZEM NÃO A PEDRO PARENTE