Em Pernambuco, micro e pequenas empresas tiveram crédito de R$ 26 milhões até outubro


De Janeiro a outubro deste ano a Agência de Fomento do Estado de Pernambuco – Agefepe financiou um total de R$ 26 milhões para Microempreendedores Individuais (MEIs), Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (EPPs).

Desse total, 41% são referentes a 495 operações de microcrédito para capital de giro, com destaque para os setores de confecções e de alimentos (pequenas mercearias e lanchonetes). Outro segmento que se destacou foi o de artesanato com 220 operações, as quais beneficiaram expositores da Fenearte que obtiveram crédito para compra de estande e capital de giro.


Uma das beneficiadas foi Viviane Locatelli, que produz assessórios como brincos, colares e pulseiras com fibras de coco em Porto de Galinhas. Segundo ela, o acesso à linhas de financiamento é fundamental para o artesão. “Quando estamos no período de ‘entressafra’ o crédito viabiliza capital de giro para manter o negócio”, disse.

No mesmo período do ano passado, o total de financiamentos realizados foi de R$ 16 milhões. Segundo o presidente da Agefepe, Emanuel Rocha, houve um aumento na demanda por crédito este ano, o que pode estar relacionado ao início da retomada de crescimento da economia do Estado.


“Com base no que registramos até agora, o ano de 2019 se mostra promissor com relação às perspectivas de consolidação da curva de crescimento econômico. Por isso, esperamos ampliar ainda mais as nossas operações de financiamento dos empreendedores que planejam abrir ou ampliar os seus negócios no próximo ano”, afirmou.

Em 2018, a Agefepe desenvolveu um plano de ação com objetivo de atender a demanda crescente do polo de confecções de Pernambuco, que abrange principalmente os municípios de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama. Empregando mais de 100 mil pessoas, o polo é a principal atividade econômica do Agreste e um ambiente fértil para a geração de novos negócios.

Além disso, a Agência também criou uma linha de crédito específica para atender o segmento de Transporte Escolar, que reúne cerca de 2 mil veículos no Estado, dos quais 1.247 estão na Região Metropolitana do Recife. “As condições oferecidas pela Agefepe em relação a prazo, taxas de juros e carência não têm igual no mercado por isso resolvi fazer o financiamento para trocar a minha Van”, afirmou Márcio José Marques, que atua há 20 anos no setor de transporte de estudantes.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO