Diretores da Compesa monitoram obra da Adutora do Agreste em Pesqueira


Os diretores de Interior e de Meio Ambiente da Compesa, Marconi Azevedo e Aldo Santos, acompanharam nesta sexta-feira, 23, em Pesqueira, o serviço de substituição de cem metros de tubulação da Adutora do Agreste, que estourou, semana passada, às margens da BR 232. O trabalho está em ritmo acelerado para que o município volte a receber água do Rio São Francisco, a partir da interligação da Adutora do Moxotó com a Adutora do Agreste, e para que tenha início a fase de testes do trecho de 30 quilômetros entre Pesqueira e Belo Jardim. A expectativa é que a substituição de parte da tubulação seja finalizada até o final de novembro. “Enquanto isso, estamos fazendo uma varredura na adutora até Belo Jardim, substituindo válvulas e reforçando juntas. A meta é  que quando a tubulação comece a receber água, não tenhamos muitos vazamentos que provoquem paralisações no sistema”, explicou Marconi Azevedo.

Durante a inspeção, a diretoria da Compesa esteve acompanhada do deputado Estadual Aluísio Lessa, do ex-prefeito de Belo Jardim, João Mendonça, de lideranças e de representantes do parque industrial de Belo Jardim que também dependem da água para garantir a produção.

A água do Rio São Francisco chegará em um momento crucial para Belo Jardim e demais municípios abastecidos pelo Sistema Bitury: Sanharó, Tacaimbó e São Bento do Una. A barragem, que tem capacidade para acumular 17 milhões de metros cúbicos de água, entrou em pré-colapso esta semana. A Compesa instalou uma bomba sobre um flutuante para captação máxima, mas a vazão não é suficiente para atender os 150 mil moradores desses municípios que integram o Sistema. Durante a visita, ficou definido que o Sistema Tabocas-Piaça vai atender exclusivamente caminhões-pipas da Compesa e das indústrias de Belo Jardim. O ponto de captação será na Estação de Tratamento de Agua de Belo Jardim. “Estamos confiantes de que essa alternativa será utilizada por pouco tempo porque a água do Velho Chico está prestes a chegar a Belo Jardim e vai tirar as cidades do colapso”, afirmou o diretor da Compesa.

Ao todo, dez municípios do Agreste serão beneficiados pela água do Rio São Francisco através da interligação da Adutora do Moxotó com a Adutora do Agreste. Arcoverde já está com o fornecimento regularizado e livre do colapso. Pesqueira, Belo Jardim, Sanharó e Tacaimbó serão os próximos beneficiados.

A Compesa investiu 85 milhões na construção da Adutora do Moxotó, que capta água do Rio São Francisco direto da Barragem de Rio da Barra, em Sertânia, e se une à Adutora do Agreste, em Arcoverde. Uma solução concebida pela Compesa e aprovada pelo governador Paulo Câmara para dar utilidade à tubulação já implantada da Adutora do Agreste e livrar 400 mil pessoas da falta de água em períodos de seca, como este agora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara