Chamas consomem Museu Nacional do Rio; perda científica é incalculável

Por Cristiane Ribeiro
Radio Agência Nacional

Museu Nacional na Quinta da Boa Vista pega fogo 
Uanderson Fernandes / Agência O Globo

Um incêndio de grandes proporções destruiu o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, na zona norte do Rio de Janeiro.

O fogo começou por volta das 19h30 desse domingo (2) e o Corpo de Bombeiros chegou a pedir apoio a homens e viaturas de 21 quarteis para controlar as chamas.

Neste início de manhã (3), os bombeiros continuam no local para evitar novos focos de incêndio. Ainda não se sabe o que causou o incêndio.

Não houve feridos, mas o fogo destruiu todo o acervo do prédio: coleções de exposições ainda da parte administrativa.

Diretores, funcionários e pesquisadores do Museu Nacional ficaram em vigília, no local. O Museu Nacional reunia um acervo de mais de 20 milhões itens, dos mais variados temas: coleções de geologia, peleontologia, botânica, zoologia e arqueologia.

No local estava a maior coleção de múmias egípcias das Américas. No Museu Nacional também estava Luzia, o mais antigo fóssil humano encontrado nas Américas, que remete há 12 mil anos e representa um jovem entre 20 anos e 24 anos.

No museu estava, também, o esqueleto do maior dinossauro encontrado no Brasil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara