Missão Médica dos Estados Unidos realiza mutirão de atendimentos em Santa Cruz do Capibaribe


Com o objetivo de levar saúde às comunidades carentes e gerar qualidade de vida para a população, a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe realizou, em convênio com o Instituto Serviços Públicos Internacionais (ISP) e o sindicato de enfermeiros de Nova Iorque (NYSNA), a “Missão médico” atendendo na AABB e na quadra da Escola Lindalva Aragão de Lira, no bairro Santo Agostinho.

O atendimento foi realizado por médicos e enfermeiros americanos e brasileiros que, preocupados com o outro, colaboram e doam seu tempo e conhecimento para melhorar a saúde do próximo, isso tanto na área pediátrica quanto adulta. “Somos um grupo que vê a necessidade de ajudar outros países que não possuem uma boa saúde, países com desastres naturais ou comunidades carentes onde a saúde não os alcançam”, fala Benedicta Jonnson, enfermeira do hospital de Nova Iorque.

“É uma preocupação mundial a colaboração mútua. Existe essa visão do nosso Instituto e no NYSNA de que nós podemos nos ajudar, isso independe dos países, localidades e pode acontecer até mesmo dentro do próprio município, uma unidade pode ajudar a outra. O que importa é melhorar a qualidade de vida das pessoas, devemos doar o que temos de conhecimento e recursos em prol do bem coletivo”, ressalta Andreia Freitas - enfermeira obstetra e participante do Instituto Serviços Públicos Internacionais (ISP) em Recife.


Pela primeira vez em uma missão voluntária, Jennifer Jonnson, estudante do último ano do pré-medicina da Universidade de Nova Iorque, aborda que o mais importante na experiência é a adaptação. “Os poucos recursos nos ensinam a como se adaptar rápido, se não tem um medicamento, mas pode ser que tenha outro similar que também possa ser utilizado, você usa então o seu conhecimento e treinamento, algo que não poderíamos usar nos Estados Unidos”, comenta Jennifer.

Com doze anos de experiência e comandando enfermeiras no hospital de Nova Iorque, Benedicta Jonnson comenta que a maioria dos pacientes que atendeu precisavam de medicamentos básicos, reclamavam de dores que “muitas vezes vêm por conta da falta de exercícios e algumas vitaminas, algumas pessoas estão reclamando também de dor quando comem, é mais sobre nutrição e atividades físicas. Alguns também já viram médicos e o seu problema não foi embora, já outros vem aqui para confirmar o que o médico já disse”, completa.


Elaine Alves foi uma das pacientes atendidas pela Missão Médica, escutou pela rádio que haveria o atendimento e veio conferir na AABB Comunidade. “Achei o atendimento ótimo, tanto para o meu filho porque eu acabei descobrindo até o que ele não tinha, e os médicos passaram o encaminhamento e os medicamentos todos corretos, e também foi bom para mim, fui atendida e estou levando remédios”, disse Elaine.

Outro atendimento foi realizado com o carpinteiro José Marivaldo, que foi na AABB após ouvir que haveria esse mutirão de atendimentos. “Assim que soube, decidi vir. Eu estava com problemas na garganta e, o atendimento foi muito bom e eles passaram os medicamentos na hora”.


“Esse trabalho conquistamos com parceiros em Brasília. Médicos de conhecidos institutos, junto com profissionais de outras áreas e com experiência em atuação internacional, em especial, com atendimento voltado para comunidades carentes. É uma oportunidade de atendermos centenas de pessoas com profissionais renomados”, relatou o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Obras da PE-160 seguem em ritmo acelerado

CARLINHOS DA COHAB: "Sou um soldado do grupo e pronto para defender a candidatura de Zé e pedir voto pra ele"

Corpo de Guilherme Uchoa é velado na Assembleia Legislativa de PE

MORO DESOBEDECE TRF-4 E NÃO SOLTA LULA