Missão Médica dos Estados Unidos realiza mutirão de atendimentos em Santa Cruz do Capibaribe


Com o objetivo de levar saúde às comunidades carentes e gerar qualidade de vida para a população, a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe realizou, em convênio com o Instituto Serviços Públicos Internacionais (ISP) e o sindicato de enfermeiros de Nova Iorque (NYSNA), a “Missão médico” atendendo na AABB e na quadra da Escola Lindalva Aragão de Lira, no bairro Santo Agostinho.

O atendimento foi realizado por médicos e enfermeiros americanos e brasileiros que, preocupados com o outro, colaboram e doam seu tempo e conhecimento para melhorar a saúde do próximo, isso tanto na área pediátrica quanto adulta. “Somos um grupo que vê a necessidade de ajudar outros países que não possuem uma boa saúde, países com desastres naturais ou comunidades carentes onde a saúde não os alcançam”, fala Benedicta Jonnson, enfermeira do hospital de Nova Iorque.

“É uma preocupação mundial a colaboração mútua. Existe essa visão do nosso Instituto e no NYSNA de que nós podemos nos ajudar, isso independe dos países, localidades e pode acontecer até mesmo dentro do próprio município, uma unidade pode ajudar a outra. O que importa é melhorar a qualidade de vida das pessoas, devemos doar o que temos de conhecimento e recursos em prol do bem coletivo”, ressalta Andreia Freitas - enfermeira obstetra e participante do Instituto Serviços Públicos Internacionais (ISP) em Recife.


Pela primeira vez em uma missão voluntária, Jennifer Jonnson, estudante do último ano do pré-medicina da Universidade de Nova Iorque, aborda que o mais importante na experiência é a adaptação. “Os poucos recursos nos ensinam a como se adaptar rápido, se não tem um medicamento, mas pode ser que tenha outro similar que também possa ser utilizado, você usa então o seu conhecimento e treinamento, algo que não poderíamos usar nos Estados Unidos”, comenta Jennifer.

Com doze anos de experiência e comandando enfermeiras no hospital de Nova Iorque, Benedicta Jonnson comenta que a maioria dos pacientes que atendeu precisavam de medicamentos básicos, reclamavam de dores que “muitas vezes vêm por conta da falta de exercícios e algumas vitaminas, algumas pessoas estão reclamando também de dor quando comem, é mais sobre nutrição e atividades físicas. Alguns também já viram médicos e o seu problema não foi embora, já outros vem aqui para confirmar o que o médico já disse”, completa.


Elaine Alves foi uma das pacientes atendidas pela Missão Médica, escutou pela rádio que haveria o atendimento e veio conferir na AABB Comunidade. “Achei o atendimento ótimo, tanto para o meu filho porque eu acabei descobrindo até o que ele não tinha, e os médicos passaram o encaminhamento e os medicamentos todos corretos, e também foi bom para mim, fui atendida e estou levando remédios”, disse Elaine.

Outro atendimento foi realizado com o carpinteiro José Marivaldo, que foi na AABB após ouvir que haveria esse mutirão de atendimentos. “Assim que soube, decidi vir. Eu estava com problemas na garganta e, o atendimento foi muito bom e eles passaram os medicamentos na hora”.


“Esse trabalho conquistamos com parceiros em Brasília. Médicos de conhecidos institutos, junto com profissionais de outras áreas e com experiência em atuação internacional, em especial, com atendimento voltado para comunidades carentes. É uma oportunidade de atendermos centenas de pessoas com profissionais renomados”, relatou o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara