Doria sugere aliança Alckmin-Rocha e constrange PSDB

Ex-prefeito e empresário participaram juntos da Marcha Para Jesus nesta quinta-feira, 31

Daniel Weterman e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

Pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, o ex-prefeito João Doria disse nesta quinta-feira, 31, que o empresário Flavio Rocha, presidenciável do PRB, e o ex-governador Geraldo Alckmin "estarão juntos" na disputa pelo Palácio do Planalto. A declaração irritou aliados de Alckmin, que consideram precipitado o gesto de Doria. Alckmin mantém conversas com o PRB e reuniu-se na semana passada com o presidente nacional do partido, Marcos Pereira. 

Para Doria, a aliança dos dois seria benéfica para o que ele considera uma união do centro contra as pré-candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT). "Será e estarão juntos", disse após participar da Marcha Para Jesus, na capital paulista. 

Doria, Rocha e Covas participaram da Marcha Para Jesus Foto: Gabriela Biló/Estadão

Em outra frente, o deputado federal Marcus Pestana, secretário-geral do PSDB, tenta unificar as candidaturas do centro já no primeiro turno, em uma frente batizada de "polo democrático".

Pestana disse ao Estado que qualquer discussão sobre composição de chapa neste momento é "balão de ensaio". De acordo com o deputado, será lançado na próxima terça-feira, em evento na Câmara dos Deputados, o manifesto do polo democrático, que foi assinado, entre outros, pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo chanceler Aloysio Nunes Ferreira.

"Só a partir de quarta-feira vamos começar a conversar com todos os pré-candidatos sobre a possibilidade de formar um bloco único do centro. Isso pode acontecer antes das convenções, durante o processo eleitoral ou no segundo turno. O perigo, porém, é a terceira opção não chegar ao segundo turno."

Sobre a articulação entre Doria e Rocha, Pestana disse que o ex-prefeito vê o processo sob a ótica de São Paulo e que a aproximação depende de uma articulação mais ampla.

Doria, Rocha, o prefeito Bruno Covas e o vereador João Jorge, presidente do PSDB municipal, tomaram café da manhã e participaram juntos do evento religioso. Nesta quarta-feira, 30, Rocha esteve presente no ato político que oficializou o apoio do PRB à campanha estadual de Doria.

Vice. Ao ser questionado se aceitaria ser candidato a vice na chapa de Alckmin, Rocha rechaçou a ideia. "Eu aceitaria ter o Geraldo como vice. Ele traria experiência e trânsito político." Segundo ele, seu perfil teria mais chance de ganhar "nessa disputa com os extremos." 

O entorno de Geraldo Alckmin avalia nomes para compor com ele a chapa presidencial. São considerados o ex-ministro da Educação Mendonça Filho, do DEM; o pré-candidato do Podemos, Alvaro Dias; e o próprio Flavio Rocha. /colaborou Adriana Ferraz

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO