Governo entra em acordo com caminhoneiros e greve é suspensa por 15 dias


Depois de uma reunião de sete horas, governo e associações que representam caminhoneiros chegaram a um acordo. A greve da categoria, que já durava quatro dias, será suspensa por 15 dias.

A notícia foi dada há pouco, em entrevista coletiva encabeçada pelos ministros Eliseu Padilha, Eduardo Guardia e Carlos Marun.

Ao fim desse prazo de 15 dias, será realizada uma nova reunião entre os representantes do governo e do movimento dos caminheiros. 

Quanto ao diesel, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que o combustível terá seu preço congelado por 30 dias. Tal vai de encontro aos reajustes diários realizados pela Petrobras. No entanto, o governo subsidiará os dias congelados.

Ministro da Casa Civil Eliseu Padilha disse que "a família brasileira" precisa dos caminhoneiros

"[A greve] estava causando transtornos à vida do cidadão brasileiro", disse Marun. 

"O Brasil é um país rodoviário. Por isso, celebramos esse acordo", completou Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil. Padilha também fez questão de destacar que a "família brasileira" precisa dos caminhoneiros.

Padilha ressaltou ainda que as reivindicações dos caminhoneiros autônomos também foram contempladas pelo acordo: "Vamos buscar com a Petrobras a situação dos trabalhadores autônomos para que eles possam trabalhar como terceirizados", disse.

O ministro ainda acrescentou que o presidente Michel Temer estava "preocupado" com o que estava "acontecendo nos lares dos brasileiros".

A paralisação afeta 22 estados da Federação e o Distrito Federal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara