Tadeu Alencar ressalta importância da política de conteúdo local na visita ao Estaleiro Atlântico Sul

Deputado integrou comitiva, ao lado do governador e do ministro dos Transportes, que conheceu o navio Castro Alves e a estrutura do estaleiro, no Porto de Suape 


Em visita ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Suape, nesta segunda-feira (23), o deputado federal Tadeu Alencar, líder do PSB na Câmara a partir de junho, reforçou sua defesa pela aprovação do projeto de lei 9.302/2017, que estabelece um mínimo de conteúdo local às empresas que atuarão no pré-sal. O parlamentar acompanhou a visita ao EAS numa comitiva que reuniu o ministro dos Transportes, Valter Cassimiro, o governador Paulo Câmara, e parlamentares. Segundo Tadeu, a aprovação da medida visa preservar empregos e investimentos que mudaram a face econômica do Estado na última década.

Na visita, o presidente do EAS, Harro Burmann, fez uma explanação sobre o ganho da capacidade técnica do estaleiro durante os anos, de seu elevado grau de eficiência e competitividade atualmente. Mas pontuou que os estaleiros nacionais ficam em grande desvantagem ao concorrer com os sediados em outros países em razão da infraestrutura e da carga tributária brasileiras, que encarecem de forma significativa os custos de produção no País. Segundo o EAS, as encomendas à empresa se encerram em maio de 2019 e caso não haja novos pedidos, a empresa terá que demitir pessoal já no final deste ano e poderá até encerrar as atividades, fechando 3,6 mil postos de trabalho.


A comitiva conheceu o Castro Alves, primeiro navio Aframax construído no Brasil e com fabricação 100% pernambucana - uma das duas embarcações que serão lançadas na próxima sexta-feira (27), juntamente com a Skandi Recife, embarcação do tipo PLSV (Pipe Laying Support Vessel). Ambas foram financiadas pelo Fundo da Marinha Mercante (FMM), somando um total de R$ 1,25 bilhão de investimentos.Tadeu Alencar afirmou que a aprovação do projeto de lei de conteúdo nacional dará estabilidade a investidores e trabalhadores. Pelo texto, em média, 40% dos produtos e equipamentos a serem utilizados no pré-sal teriam que ter origem nacional. O deputado defende a regra de conteúdo local como uma etapa de transição, com a diminuição dos percentuais de nacionalização dos produtos durante os anos. Essa medida, segundo o parlamentar, é de proteção da economia local e dos empregos, já que os estaleiros ainda precisam de medidas de incentivo do estado brasileiro para enfrentar concorrentes internacionais. “Sem esse incentivo e essa salvaguarda, a indústria nacional não tem condições de competir, visto que o chamado ‘custo Brasil’ encarece a nossa produção”, avalia.

O governador Paulo Câmara ratificou o apoio do Governo de Pernambuco com os avanços do setor naval em Pernambuco. “A gente tem certeza de que todo o esforço que foi feito para trazer essa indústria Naval aqui para Pernambuco está valendo a pena. Para se ter uma ideia, o primeiro navio do EAS durou 60 meses para ficar pronto. Esse, que nós visitamos hoje, durou apenas 18. Os próximos irão durar 14 meses. Ou seja, eles estão em um nível de excelência mundial. Hoje, o estaleiro é um patrimônio de Pernambuco e do Brasil em termos de qualidade, tecnologia, fazendo navios bem feitos, que podem ser vendidos para o mundo todo”, frisou.

O ministro dos Transportes prometeu empenho para liberação de financiamentos via BNDES para o setor. “Já me comprometi em conversar com o presidente do BNDES para que a gente possa liberar os financiamentos que já estão aprovados pelo FMM, mas que ainda precisam da liberação do banco”, declarou Cassimiro.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO