Em Arena PE lotada, Náutico bate Central e é campeão do Pernambucano

Timbu bateu a Patativa por 2x1 e volta a ser 
campeão após 13 anos

Torcida fez a festa na Arena de Pernambuco - Diego Nigro/JC Imagem

Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Depois de 13 anos, o grito voltou a explodir da garganta alvirrubra. E não foi a vaia da decepção ou até a ausência de som, num silêncio que permeou a relação alvirrubra com a Arena até este domingo (8) e distanciou os torcedores do clube da Rosa e Silva, que no último sábado (7) completou 117 anos. Não mais. O presente veio com uma Arena de Pernambuco lotada, com mais de 40 mil pessoas. A vitória por 2x1 sobre o Central, na final do Estadual, que resgata a auto-estima dos alvirrubros após temporada sofridas, com rebaixamentos e campanhas ruins

A primeira etapa foi marcada por reviravoltas. Nos primeiros 15 minutos, só deu Náutico, que entrou em campo com uma postura bem ofensiva, com três atacantes e dois meias no time titular. No abafa, quase abriu o placar logo aos quatro minutos. De falta, Wallace Pernambucano carimbou o poste esquerdo de França. A bola ainda passou na frente da barra centralina e saiu.


Depois, foi a vez do Central dominar. Com posse de bola, o time caruaruense chegou em três oportunidades. Com 25, Fernando Pires arrematou de longe e goleiro Bruno espalmou para escanteio. Dois minutos depois, Gildo abriu o placar na Arena de Pernambuco. Após lançamento, o atacante driblou Camutanga e só tirou do arqueiro alvirrubro. Arbitragem marcou impedimento polêmico, o que revoltou a torcida do Central. Aos 35, Dudu Gago cruzou e Douglas Carioca acertou a rede pelo lado de fora.

No pior momento alvirrubro, o Náutico abriu o placar. Com 43 minutos, Kevyn arrancou pela esquerda e cruzou. Ortigoza chutou, a bola desviou em Danilo Quipapá e matou França. Explosão alvirrubra na Arena de Pernambuco.

Na segunda etapa, o técnico Roberto Fernandes garantiu a vitória com uma mudança. Saiu Wallace Pernambucano, mais uma vez apagado, e entrou Jobson. Novamente nos primeiros minutos de um tempo, o Náutico pressionou. Com oito, Ortigoza até balançou as redes após dividir com França, mas a arbitragem marcou toque de mão do paraguaio e o advertiu com amarelo.

Com 13 minutos, o golpe final. Do papai Jobson, que antes do primeiro jogo da final descobriu que vai ser pai. E deu um pintura de presente para todos os alvirrubros. Após passe açucarado de Rafael Assis, driblou dois defensores do Central e chutou cruzado, sem chances para França.

Aguerrido, o Central não desistiu e foi pra cima do Náutico no fim. Com 26 minutos, até conseguiu diminuir com Júnior Lemos, após pênalti de Kevyn. Oito minutos depois, a mesma trave tirou outro gol na partida. Desta vez do Central. Após chute cruzado de Júnior Lemos, a bola novamente acertou o poste esquerdo, passou na frente do gol e saiu. Não foi dessa vez que um campeão Pernambucano saiu do interior. No último apito de Nielson Nogueira Dias, o fim do sufoco: o Timbu volta a ser campeão do Estadual!

FICHA DE JOGO

(2) NÁUTICO
Bruno; Thiago Ennes, Camutanga, Camacho e Kevyn; Negretti, Júnior Timbó e Wallace Pernambucano (Jobson); Rafael Assis, Ortigoza e Robinho. Técnico: Roberto Fernandes

(1) CENTRAL
França; Eduardo Gago, Danilo Quipapá, Vitão e Charles; Eduardo Erê, Douglas Carioca (Itacaré), Fernando Pires e Júnior Lemos (Mateus Issa); Leandro Costa e Gildo (Lucas Silva). Técnico: Mauro Fernandes.

Local: Arena de Pernambuco. Horário: 16h. Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE). Assistentes: Clóvis Amaral e Cleberson Nascimento (ambos de PE). Gols: Ortigoza, aos 43 min do 1ºT; Jobson, aos 12 min do 2ºT, e Júnior Lemos, aos 26 min do 2ºT. Cartões amarelos: Thiago Ennes, Camacho, Kevyn e Jobson (N). Dudu Gago e Eduardo Erê (C).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara