Em Arena PE lotada, Náutico bate Central e é campeão do Pernambucano

Timbu bateu a Patativa por 2x1 e volta a ser 
campeão após 13 anos

Torcida fez a festa na Arena de Pernambuco - Diego Nigro/JC Imagem

Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Depois de 13 anos, o grito voltou a explodir da garganta alvirrubra. E não foi a vaia da decepção ou até a ausência de som, num silêncio que permeou a relação alvirrubra com a Arena até este domingo (8) e distanciou os torcedores do clube da Rosa e Silva, que no último sábado (7) completou 117 anos. Não mais. O presente veio com uma Arena de Pernambuco lotada, com mais de 40 mil pessoas. A vitória por 2x1 sobre o Central, na final do Estadual, que resgata a auto-estima dos alvirrubros após temporada sofridas, com rebaixamentos e campanhas ruins

A primeira etapa foi marcada por reviravoltas. Nos primeiros 15 minutos, só deu Náutico, que entrou em campo com uma postura bem ofensiva, com três atacantes e dois meias no time titular. No abafa, quase abriu o placar logo aos quatro minutos. De falta, Wallace Pernambucano carimbou o poste esquerdo de França. A bola ainda passou na frente da barra centralina e saiu.


Depois, foi a vez do Central dominar. Com posse de bola, o time caruaruense chegou em três oportunidades. Com 25, Fernando Pires arrematou de longe e goleiro Bruno espalmou para escanteio. Dois minutos depois, Gildo abriu o placar na Arena de Pernambuco. Após lançamento, o atacante driblou Camutanga e só tirou do arqueiro alvirrubro. Arbitragem marcou impedimento polêmico, o que revoltou a torcida do Central. Aos 35, Dudu Gago cruzou e Douglas Carioca acertou a rede pelo lado de fora.

No pior momento alvirrubro, o Náutico abriu o placar. Com 43 minutos, Kevyn arrancou pela esquerda e cruzou. Ortigoza chutou, a bola desviou em Danilo Quipapá e matou França. Explosão alvirrubra na Arena de Pernambuco.

Na segunda etapa, o técnico Roberto Fernandes garantiu a vitória com uma mudança. Saiu Wallace Pernambucano, mais uma vez apagado, e entrou Jobson. Novamente nos primeiros minutos de um tempo, o Náutico pressionou. Com oito, Ortigoza até balançou as redes após dividir com França, mas a arbitragem marcou toque de mão do paraguaio e o advertiu com amarelo.

Com 13 minutos, o golpe final. Do papai Jobson, que antes do primeiro jogo da final descobriu que vai ser pai. E deu um pintura de presente para todos os alvirrubros. Após passe açucarado de Rafael Assis, driblou dois defensores do Central e chutou cruzado, sem chances para França.

Aguerrido, o Central não desistiu e foi pra cima do Náutico no fim. Com 26 minutos, até conseguiu diminuir com Júnior Lemos, após pênalti de Kevyn. Oito minutos depois, a mesma trave tirou outro gol na partida. Desta vez do Central. Após chute cruzado de Júnior Lemos, a bola novamente acertou o poste esquerdo, passou na frente do gol e saiu. Não foi dessa vez que um campeão Pernambucano saiu do interior. No último apito de Nielson Nogueira Dias, o fim do sufoco: o Timbu volta a ser campeão do Estadual!

FICHA DE JOGO

(2) NÁUTICO
Bruno; Thiago Ennes, Camutanga, Camacho e Kevyn; Negretti, Júnior Timbó e Wallace Pernambucano (Jobson); Rafael Assis, Ortigoza e Robinho. Técnico: Roberto Fernandes

(1) CENTRAL
França; Eduardo Gago, Danilo Quipapá, Vitão e Charles; Eduardo Erê, Douglas Carioca (Itacaré), Fernando Pires e Júnior Lemos (Mateus Issa); Leandro Costa e Gildo (Lucas Silva). Técnico: Mauro Fernandes.

Local: Arena de Pernambuco. Horário: 16h. Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE). Assistentes: Clóvis Amaral e Cleberson Nascimento (ambos de PE). Gols: Ortigoza, aos 43 min do 1ºT; Jobson, aos 12 min do 2ºT, e Júnior Lemos, aos 26 min do 2ºT. Cartões amarelos: Thiago Ennes, Camacho, Kevyn e Jobson (N). Dudu Gago e Eduardo Erê (C).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Paulo Câmara: "As pessoas sabem o que é melhor para Pernambuco"

Durante caminhada em Limoeiro, candidato à reeleição foi recebido com muito entusiasmo pela população, que se mostrou fechada com a Frente ...

POSTAGENS MAIS ACESSADAS