Marília Arraes representa o resgate do PT em Pernambuco



Tudo era apenas uma brincadeira e foi crescendo, crescendo e hoje já é uma realidade na disputa eleitoral. As pesquisas constatam o que quase todo mundo do meio político já sabia. Marília Arraes se constituiu na principal novidade da disputa pelo Palácio do Campo das Princesas. Aos 33 anos, Marília ocupa o cargo de vereadora do Recife pela terceira vez, mas em dez anos de trajetória política com mandatos eletivos, ela coleciona atividades intensas.

Para quem não lembra, ela apresentou um projeto que visava regulamentar o uso dos espaços públicos, e foi por conta disso que surgiu um grupo chamado Direitos Urbanos, que veio a ser o Ocupe Estelita. Marília não fazia ideia do vespeiro que estava mexendo ainda em 2011, quando exercia o seu primeiro mandato, na época em que apresentou o polêmico projeto.

Na vitória de Geraldo Julio, em 2012, ela foi convidada para assumir a secretaria de Juventude, uma pasta que era esvaziada e que aos poucos ela percebeu que ali seria seu ocaso político se continuasse lá. Foi quando deixou a pasta para tentar um mandato nas eleições de 2014. Mirou a Câmara dos Deputados mas teve como obstáculo a negativa de Eduardo, que mandava e desmandava em Pernambuco.

Ninguém imaginava que a partir daquela negativa muita coisa mudaria em Pernambuco. Ela rompeu com Eduardo quando ninguém teve a ousadia de fazer. Decidiu apoiar Armando Monteiro, criticou a aliança do primo com Jarbas Vasconcelos, e acabou sendo observada com outros olhos, uma vez que seria muito cômodo pra ela engolir seco e cobrar a fatura depois, como a maioria dos políticos em seu lugar teria feito.

Veio a morte de Eduardo, que mexeria diretamente na eleição daquele ano e no pós-eleição e o legado de Miguel Arraes ficou sob sua responsabilidade. Marília saiu do PSB quando ninguém queria sair e entrou no PT onde ninguém queria entrar. Foi para a reeleição de vereadora com a desconfiança de muitos sobre sua viabilidade eleitoral, e novamente surpreendeu quando foi a sexta mais votada do Recife com quase 12 mil votos.

A reeleição de forma gigante como ocorreu, contra tudo e contra todos, fez de Marília um nome a ser observado com mais atenção. Tanto que ela foi lembrada como alguém que disputaria a eleição para o governo pelo PT no intuito de cumprir tabela e dar palanque ao candidato petista no estado. Marília queria mais do que ser uma mera coadjuvante no processo e foi a luta nos mais longínquos recantos de Pernambuco.

Mulher, jovem, neta de Arraes, de esquerda, defensora de suas convicções com a coragem que poucos possuem, Marília Arraes, que não está envolvida em nenhum escândalo de corrupção, vale salientar, é o nome do resgate do PT, do arraesismo e da esperança que um dia Eduardo Campos representou em 2006. Os 15% atingidos nas pesquisas eleitorais ainda não são nada. Marília renova a esperança, sacode o PT e ganha a cada dia que se passa a confiança do povo de Pernambuco. Ela não veio para fazer figuração, ela chegou para fazer história, fazendo jus, assim como fez Eduardo, ao sangue que corre nas suas veias, e mostra que tem sangue nos olhos para enfrentar qualquer desafio. Eis que temos o grande fato novo da eleição de 2018, ele se chama Marília Arraes.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

CARLINHOS DA COHAB: MAIS ÁGUA PARA POÇO FUNDO E APOIO A DIOGO MORAES

PT estadual vota a favor da candidatura de Marília Arraes ao governo

Membros do PSD retornam ao grupo de situação em Santa Cruz do Capibaribe