Danilo contesta nota de Lucas Ramos sobre aliança entre PT e PSB

Por: Daniel Leite
Blog da Folha

Danilo Cabral é deputado federal pelo PSB-PE
Foto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

Após o deputado estadual Lucas Ramos (PSB) criticar a provável aliança entre PSB e PT, na eleição deste ano, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) afirmou que, neste momento, a legenda deve traçar sua tática eleitoral a partir do que é “possível”. Na sua visão, o partido “nunca foi de construir política com base no ‘hegemonismo’ de ser só ele”.

A posição de Danilo, externada em entrevista à Rádio Folha, nesta quinta (15), foi provocada pela nota, divulgada por Lucas Ramos, no último dia 10. Nela, o deputado estadual colocou que “cada uma dessas legendas deve se fortalecer disputando o primeiro turno com candidaturas majoritárias e proporcionais próprias".

“Erram, PSB e PT, quando queimam essa etapa com uma candidatura única entre os dois e ganham os partidos de centro-direita com esse erro tático dos de centro-esquerda. No segundo turno sim, um precisará do outro para juntos serem protagonistas de um modelo de governo que o Brasil precisa”, acrescentou o socialista, no texto.

Leia também
Apesar de dizer que Lucas “é sem dúvida uma figura ascendente dentro do partido”, Danilo destacou que “historicamente o PSB sempre foi um partido de construir frentes políticas”. “A tradição do partido sempre foi essa, isso desde o começo, na década de cinquenta, com Pelópidas, Arraes e depois com Eduardo. Então o PSB nunca foi um partido de construir política com base no ‘hegemonismo’, de ser só ele”, ressaltou.

Para o deputado federal, “uma coisa é ter convergência na estratégia, outra coisa é saber como isso vai se desdobrar do ponto de vista objetivo, no processo eleitoral”. “O que nos une é o movimento na política, agora vamos ver se no eleitoral é possível ou não. Cada partido tem suas conveniências, do ponto de vista da tática eleitoral”, disse.

João Paulo

Questionado sobre a possível indicação do ex-prefeito do Recife, João Paulo, para a vaga de senador pela Frente Popular, Danilo Cabral elogiou o petista, mas disse que “ainda não é hora de definir nomes”. Mesmo assim, deixou claro que, “no primeiro momento, a gente tem que pensar em uma coisa conjunta". "Estamos vivendo hoje no Brasil a maior crise de história. Está muito claro que vamos ter um enfrentamento entre os que vão ser contra Temer e, do outro lado, os que são a favor", destacou.

"Esse é um eixo que ninguém pode negar, que estará presente na disputa eleitoral. Então vamos estar aqui na turma contra Temer. Esse vai ser nosso time aqui. Temos falado e praticado isso. Do outro lado tem os que estão com Temer, como o ministro Fernando filho, que quer vender a Chesf, Mendonça Filho e Fernando Bezerra, que é líder do governo no Senado”, finalizou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara