Adeus a Louro.


Acabamos de perder Louro Branco - Francisco Maia de Queiroz. Nasceu na Vila Feiticeiro, Vale do Jaguaribe-CE, morou em várias cidades cearenses, Mossoró e Caicó -RN, atualmente residindo em Santa Cruz do Capiberibe-PE.

Nos mais de cinquenta anos de profissão como repentista, Louro dedicou-se e honrou a arte do repente como só ele poderia ter feito. Transformou-se num dos maiores e admirados cantadores de todos os tempos, do Nordeste e do Brasil, emplacando um estilo próprio e uma criatividade pouco vista num ser humano.

Sua atividade na cantoria foi tão intensa e bonita, chegando a ser confundida com sua pessoa, suas qualidades e generosidade, de acordo com sua origem, exemplo de simplicidade e cidadania. 

Sua produção poética se identifica com o público que tanto o aplaudida nas cantorias, nos festivais e nos mais diferentes ambientes onde se apresentou com aquele viola.

Era um desses guerreiros. Nunca injetou jornada de trabalho, fosse longa, pesada ou dificultosa. Sempre estava pronto para o oficio, fosse em um grande evento, numa feira, ou até num ato de lazer com amigos e colegas. Jamais fez seleção ou escolha de cantadores para suas parcerias. Enfrentou todos, das maiores referências aos menos reconhecidos e os encarou sem caráter competitivo, tratando todos com dignidade e respeito.

Deixa um legado enorme. São muitos poemas, canções, livros, LPs, CDs, DVDs e muitos outros trabalhos. Fica em todos os cantos e recantos, de boca em boca uma quantidade incalculável de estrofes, de sua autoria, decoradas nos seus inúmeros desafios de improviso, se utilizando dos mais diversos gêneros da cantoria (sextilhas, motes e modalidades), histórias e respostas ditas por ele onde andou, sem contar o que ficou perdido, que não deu pra ninguém registrar. É difícil numa roda de conversa entre poetas ou pessoas ligadas ao universo da cantoria, não se incluir Louro Branco e raramente não ter uma nova coisa deixada por ele em forma de verso ou de prosa. 

É incrível! Louro Branco está na memória do povo, na História da cultura popular e vai continuar nas nossas lembranças, nossas vidas, vivo conosco.

Antonio Lisboa

Recife, 18 de Janeiro de 2018

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Obras da PE-160 seguem em ritmo acelerado

Corpo de Guilherme Uchoa é velado na Assembleia Legislativa de PE

MORO DESOBEDECE TRF-4 E NÃO SOLTA LULA

O peso do Sertão pernambucano nas eleições de 2018