6ª Edição do Baile Municipal: Carnaval e solidariedade em Santa Cruz do Capibaribe


Com o objetivo de compartilhar solidariedade, com renda revertida para entidades que trabalham com crianças, adolescentes e idosos, a 6ª edição do Baile Municipal de Santa Cruz do Capibaribe vem mais uma vez com animação para agitar os festejos pré-carnavalescos e contribuir com entidades sociais.

Os recursos vão se transformar em ações e equipamentos voltados para otimizar a qualidade do serviço oferecido pela Sociedade Novo século, pela Associação de Moradores do Bairro são Jorge e Desafio Jovem.

O Baile, utilizando de um dos principais festejos populares do país, o Carnaval, conta com o apoio de diversas instituições privadas, da Prefeitura Municipal e da Câmara da cidade para ser realizado.

O evento homenageia todos os anos uma pessoa pública da cidade. Esse ano, a escolhida foi Neide Andrade, reconhecida foliã do município. “Eu fui pega de surpresa com essa homenagem, eu não esperava que fossem me homenagear. Estou muito feliz com esse convite e vou dar tudo de mim esse ano,” disse.

A idealizadora do evento, Alessandra Vieira, convida todos os foliões a vestir a camisa da solidariedade e festejar uma das principais datas comemorativas da cidade na primeira sexta-feira de fevereiro.

“O Baile é uma festa beneficente em prol das entidades santa-cruzenses, trabalhamos muito pra que esse baile aconteça todo ano. Com isso, gostaria de convidar a todos para participar dessa edição e se divertir ao som do frevo, axé e do samba”, complementa Alessandra.

Esse ano, a noite começa com a tradicional Caminhada do Frevo, onde vários grupos culturais farão um percurso pela cidade até o Clube Ypiranga. Em seguida, o sons carnavalescos entrarão com a Orquestra Novo Século e a Banda Babado Novo. Além de shows, haverá também concursos culturais que irão agitar a festa.

Informações e mesas podem ser adquiridas pelos contatos:

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO