KÁTIA: PMDB DEVERIA PROVAR QUE NÃO É ‘QUADRILHÃO’


A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) reagiu ao afastamento da legenda determinado pela Executiva do partido; de acordo com a parlamentar, "a preocupação do PMDB deveria ser provar que não é uma organização criminosa, um 'quadrilhão'"; "Eu estou longe de ser um problema para o PMDB. Sigo minha vida", afirmou ela, em nota; a congressista foi afastada porque votou contra o impeachment de Dilma Rousseff

Tocantins 247 - A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) reagiu ao afastamento da legenda determinado pela Executiva do partido. De acordo com a parlamentar, "a preocupação do PMDB deveria ser provar que não é uma organização criminosa, um 'quadrilhão'". "Eu estou longe de ser um problema para o PMDB. Sigo minha vida", afirmou ela, em nota.

A congressista foi afastada porque votou contra o impeachment de Dilma Rousseff, enquanto a direção do partido havia orientado parlamentares a aprovarem o afastamento da petista. Mas tanto o Ministério Público (MPDFT) como uma perícia do Senado inocentaram a presidente deposta pelo golpe.

No caso conhecido como "quadrilhão do PMDB", são citados Michel Temer, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência), o ex-ministro Geddel Vieira Lima, e os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha (RJ) e Henrique Eduardo Alves (RN).

Em relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal comentou sobre o que chamou de segundo escalão do quadrilhão e atribuiu R$ 31,5 milhões em ‘vantagens indevidas’ a Temer e deixou o peemedebista na posição central do esquema.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO