Líder do PT confirma nome de Marília Arraes em 2018 e diz que Fernando Filho não tem chance

Foto: Tarsio Alves/Divulgação

Amanda Miranda
Do Blog de Jamildo

Apesar dos gestos que tem feito, o PT local não confirma (e também não nega) a candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes ao Governo de Pernambuco em 2018. Mas, entre os políticos nacionais, o nome dela já está consolidado.

O líder do partido no Senado, Lindbergh Farias (RJ), confirmou neste sábado (26), em visita a Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife, que a parlamentar deve rodar o Estado para construir a candidatura. “O PT está aqui com uma candidatura, é Marília Arraes, e nós vamos estar construindo. O importante para a gente agora é crescer essa candidatura”, afirmou o senador.

O parlamentar, que é paraibano embora tenha sido eleito pelo Rio de Janeiro, minimizou as conversas que o ex-presidente Lula teve em passagem pelo Recife com o senador Armando Monteiro (PTB), apoiado pelo PT em 2014, e com o governador Paulo Câmara (PSB).

“As alianças eleitorais vão se fechar lá na frente. O importante é o PT crescer e construir uma chapa de deputados e o nome de Marília contribui para isso”, defendeu.

O PT saiu com o PTB depois que o ex-governador Eduardo Campos, padrinho político de Paulo Câmara e primo de Marília Arraes, decidiu romper com os petistas para se lançar candidato. Em 2014, o PSB tinha Marina Silva na disputa (depois da morte de Eduardo) e no segundo turno apoiou Aécio Neves (PSDB), após uma campanha de críticas a Dilma Rousseff (PT).

Mais cedo, Marília Arraes se encontrou com Lula no hotel onde ele se hospedou, na Zona Sul da cidade, para conversar sobre o cenário eleitoral para 2018. A vereadora também foi a São Paulo se encontrar com o ex-presidente em julho, uma semana antes de ser uma das protagonistas da propaganda partidária do PT local criticando o governo Paulo Câmara.

No evento em Brasília Teimosa, Marília afirmou que os apoios de Armando e Paulo Câmara seriam “bem-vindos”, mas não recíprocos, e que o PT teria candidatura própria.

A vereadora trocou o PSB pelo PT no início do ano passado, com ficha abonada por Lula, após dois anos de desgaste com os socialistas. A vereadora era contra o rompimento de Eduardo Campos com o governo Dilma Rousseff, para se candidatar à presidência. Em 2014, também brigou com o primo por causa da nomeação do filho dele João Campos – hoje chefe de gabinete de Paulo Câmara – à Juventude do PSB.

Fernando Filho

Lindbergh ainda criticou as privatizações do governo Michel Temer (PMDB) e atribuiu papel relevante no processo ao ministro de Minas e Energia, o pernambucano Fernando Filho, que pode ser candidato a governador no ano que vem. “Sinceramente, eu não sou especialista em política pernambucana, mas ele não tem a menor chance. Tem que ser uma pessoa que fale com o povo.”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara