A 'prova dos nove' das capitais nordestinas ainda em aberto

Por Aline Moura
aline.moura@diariodepernambuco.com.br

Das nove capitais do Nordeste, quatro prefeitos se reelegeram no primeiro turno e cinco vão enfrentar a etapa seguinte, a chamada “prova dos nove”, o que mostra um eleitor mais exigente. O destaque ficou com o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), o mais bem votado do país, com 74% da preferência dos eleitores. Na disputa, ACM Neto não teve adversários à sua altura e manteve a capital baiana como quartel-general do DEM. Nas outras capitais nordestinas, Carlos Eduardo (PDT) reelegeu-se no primeiro turno em Natal (RN), com 63,42%, enquanto o prefeito de Teresina (PI), Firmino Filho (PSDB), também obteve o mesmo sucesso, vencendo a disputa por uma diferença pequena. O tucano teve 51,14% dos votos. Em João Pessoa (PB), o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) venceu por 57,67% dos votos.

A eleição em Salvador levanta reflexões. ACM Neto, da tradicional família de Antônio Carlos Magalhães, teve um resultado surpreendente mesmo na adversidade. ACM Neto tinha como adversários políticos a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), afastada do cargo recentemente, e o governador Rui Costa (PT). Seu avo era chamado de “painho” pelos simpatizantes e de “Toinho Malvadeza” pelos adversários. 

Em Aracaju (SE), no entanto, o DEM sofreu um revés. João Alves, candidato à reeleição, ficou fora do segundo turno, que será protagonizado por Valadares Filho (PSB) e Edvaldo Nogueira (PCdoB). João Alves estava há quatro décadas na política sergipana, mas vinha sendo chamado pelos oponentes de “o rejeitado”, o que fortaleceu a oposição. Com Valadares Filho, o PSB concentrou o apoio de quase toda a esquerda em Aracaju, incluindo o PT. Agora, ele enfrentará uma disputa fratricida com o PCdoB.

Na capital de Alagoas, Maceió, haverá segundo turno entre dois partidos aliados no cenário nacional, o PSDB e o PMDB, respectivamente representados pelo prefeito Rui Palmeira e Cícero Almeida. Candidato à reeleição, Palmeira conta com o apoio do senador Aécio Neves (PSDB), enquanto Cícero hoje faz parte do núcleo de aliados do senador Renan Calheiros.

Por outro lado, a disputa em Fortaleza mostra que, na região nordestina, ainda pesa a força dos caciques. O prefeito Roberto Cláudio (PDT), ligado a Ciro Gomes e Cid Gomes, ambos do PDT, concorrerá no segundo turno contra o Capitão Wagner (PR), que recebeu a pecha de ser um candidato de ultradireita e disputou com o apoio do PMDB. O prefeito teve 40,81% dos votos contra 31,45% de Wagner e Luizianne Lins, do PT, não conseguiu surpreender como em outras disputas. O PDT de Ciro Gomes, aliás, teve o melhor desempenho no Nordeste em termos de prefeitos candidatos, porque emplacou a reeleição do prefeito de Natal, Carlos Eduardo, e levou dois outros ao segundo turno, além do prefeito de Fortaleza, o prefeito de São Luís (MA), Edilvado Holanda. 

No quadro geral dos gestores que disputaram a reeleição, houve uma divisão de forças. O PSDB reelegeu um e tem outro no segundo turno. O DEM reelegeu ACM Neto e perdeu Aracaju. O PSD reelegeu em João Pessoa, enquanto o PSB enfrentará o segundo turno no Recife com Geraldo Julio na cabeça de chapa.

Diario de Pernambuco

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

MENDONÇA FILHO VOLTA A SER ESCRACHADO: ‘XÔ, GOLPISTA’

Suspeitos de assalto a banco são mortos em tiroteio com PMs no Sertão

BLITZ DO DETRAN EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE. A POLÊMICA CONTINUA

EDUARDO DA FONTE ARTICULA CANDIDATURA DE CLEITON BARBOZA PARA DEPUTADO ESTADUAL

CHEIA NO RIO CAPIBARIBE