INGERÊNCIA NA SAÚDE, POR DR MARCONI ARAGÃO*

A contratação de médicos pelas ditas "cooperativas" é uma prática frequente nas pequenas cidades despolitizadas. 

Mesmo sendo uma cidade grande, Santa Cruz do Capibaribe vem vivendo esta realidade nas gestões do Prefeito Edson Vieira, sendo uma espécie de terceirização na área de saúde. 

O processo é legal, porém indecente já que acarreta uma despesa vultosa que pode e deve ser evitada por representar uma verdadeira "caixa preta" não aberta cabendo ao legislativo e a imprensa livre fazer pressão para sua abertura. 

A proliferação dos cursos de graduação e pós-graduação em medicina no nosso estado e em estados vizinhos gerou um mercado repleto de bons e novos médicos facilitando a tarefa do Gestor Municipal de Saúde de formar equipes médicas, o que representaria uma de suas principais funções. 

O argumento de que existe cartel de médicos é infundado, inconsistente, "conversa pra boi dormir". Em trinta e dois anos de formado em medicina nunca presenciei momento tão propício para se formar equipe médica, visto que há vários hospitais e unidades municipais de saúde com fila de espera de médicos para serem admitidos.

O desperdício de recursos públicos na área de saúde provavelmente afeta outras políticas públicas de saúde como controle de doenças crônicas e degenerativas como a diabetes e a hipertensão arterial sistêmica.

Não é de se estranhar este comportamento na administração pública na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, pois temos um prefeito com os bens bloqueados por improbidade administrativa há mais de um ano e sem perspectiva de revertê-lo. (VIDE BULA - CASO KMC)

*DR. MARCONI ARAGÃO FLORÊNCIO 
MÉDICO ANGIOLOGISTA & CIRURGIÃO VASCULAR

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"