Ibope: Bolsonaro alcança 52% nos votos totais, contra 37% de Haddad

É a primeira pesquisa do instituto no segundo turno. Nos votos válidos, candidato de extrema direita tem 59% contra 41%

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. 
LEO CORREA/ANDRE PENNER AP

São Paulo

A preferência pelo candidato de extrema direita do PSL, Jair Bolsonaro, ultrapassou pela primeira vez a marca de mais de metade do eleitorado em uma pesquisa. De acordo com o Ibope, o deputado federal alcançou 52% das intenções de voto no primeiro levantamento do instituto para o segundo turno, que acontece em 28 de outubro. O petista Fernando Haddad chega a 37% no mesmo levantamento, enquanto 9% estão dispostos a anular o voto ou votar em branco. Um percentual de 2% não quis ou não soube responder. Nos votos válidos, Bolsonaro bate 59%, contra 41% de Haddad, uma vantagem ainda maior que a medida pelo Datafolha na semana passada, que foi de 16 pontos percentuais

A pesquisa Ibope, que tem margem de erro de dois pontos percentuais, trouxe ainda outra má notícia para Haddad. A rejeição do petista chega a 47% dos eleitores, ultrapassando o índice do capitão reformado do Exército, que aparece com 35%, pela primeira vez. Nas pesquisas feitas antes do primeiro turno, o deputado federal do PSL era sempre campeão no quesito rechaço do eleitor. As entrevistas foram feitas entre 13 e 14 de outubro, com 2.506 eleitores em todo o Brasil.

Dificuldades de Haddad

Os números, em especial o da rejeição, injetam ainda mais pressão sobre o petista, no momento em que Bolsonaro segue fazendo campanha com rígido controle da mensagem e recusa, até agora, a participar de debates. Enquanto isso, Haddad segue com dificuldades para ampliar seu arco de alianças. Nesta segunda-feira ocorreu em Brasília uma reunião de dirigentes do PT, PSB, PCdoB, PROS e PSOL, aliados do PT. O PDT, partido de Ciro Gomes, não enviou representante, num dos sinais dos problemas dos petistas para atrair o terceiro colocado no primeiro turno para o palanque de Haddad. "Fica muito difícil que, no momento em que nunca cederam em nada, eles [PT] só queiram que nós nos reunamos em torno deles sendo protagonistas", disse o presidente do PDT, Carlos Lupi, ao repórter do EL PAÍS Ricardo Della Coletta. Lupi estava em São Paulo para declarar apoio ao candidato do PSB ao Governo de São Paulo, Márcio França.

Em situação oposta está o candidato ultradireitista. Ele já convence mais de 50% do eleitorado brasileiro martelando uma mensagem de que tirará o PT do poder e sem ter que sequer fazer acenos ao centro, pedir desculpas por ofensas já feitas a minorias ou muitas novas promessas. O militar da reserva disse nesta segunda-feira, por exemplo, que nunca viu "mulher reclamando que ganha menos do que homem". A declaração foi feita a uma rádio de Barretos, em entrevista citada pela Folha de S. Paulo.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO