Marília Arraes: 'Vamos ganhar a eleição'


Marília Arraes - Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

A vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), está mais confiante do que nunca na sua candidatura ao Governo do Estado, neste ano. Em entrevista à Rádio Folha 96,7 FM, nesta segunda-feira (05), afirmou que sua postulação tem mostrado viabilidade e não faz sentido “voltar atrás”. Além disso, colocou que acha difícil uma aliança entre PT e PSB, baseada na “troca de favores e cargos”. “Quem vai para os segundo turno somos nós do PT e vamos ganhar a eleição”, cravou.

Ao falar sobre a especulação em torno da aproximação entre o PSB e o PT, Marília destacou que “nenhuma liderança nunca assumiu essa posição de aliança com o PSB”. "Até porque o povo não aceita mais esse tipo de aliança. De opositores que se combatem todos os dias e de repente fazem uma conta de que é melhor para eleger A, B ou C, ou fazer uma composição em troca de favores e de cargos, e de repente saírem de mãos dadas se apoiando, arrumando justificativas políticas para se apoiar. Isso não funciona mais. Eu aposto que a gente precisa fazer política diferente. Por isso que entrei no PT e aceitei essa missão de ser candidata”, pontuou.

Questionada sobre as recentes manifestações de membros da oposição, que observam sua candidatura como a oportunidade para provocar o segundo turno, a petista se mostrou confiante de que irá vencer o pleito. “Se eles gostam ou não da nossa candidatura não faz diferença para a gente. Agora se estão achando que a nossa candidatura vai ajudar um deles a ir para o segundo turno estão muito enganados. Quem vai para os segundo turno somos nós do PT e vamos ganhar a eleição. É para isto que a candidatura está posta. Não é para provocar segundo turno. Não é para marcar posição”, garantiu.

Na sua visão, a retirada de sua postulação “seria uma agressão à militância e todos que estão acreditando no projeto”. “Acredito que hoje com a situação política que o País vive e com essa tentativa de criminalização do PT, seria muito complicado retirar uma candidatura como a nossa, que tem ganhado força. E as pessoas estão acreditando. Só tem a crescer. Não teria sentido retirar uma candidatura com viabilidade como a nossa, por qualquer outro motivo que não seja ideológico e sim pragmático”, opinou a petista, que já começou a colher as assinaturas para registrar a sua pré-candidatura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara