Contra medidas, servidores vão à Justiça e ameaçam parar

Reajuste é adiado e contribuição aumenta. Crédito: Daniel Teixeira/Estadão

Do Estadão

O clima deve esquentar entre funcionários públicos e Planalto. Depois do pacote para cortar despesas e aumentar receitas, o governo enviou a MP 805, que inclui adiamento do reajuste dos servidores para 2019 e aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14% para quem ganha acima de R$ 5 mil.

Sindicatos prometem entrar na Justiça contra a medida provisória. Em protesto, já iniciaram paralisações. Nessa quarta-feira, 1, auditores fiscais, que também estavam insatisfeitos porque ficaram sem um bônus salarial, foram os primeiros a cruzar os braços - adotando operação-padrão nos aeroportos e aduanas.

As mudanças propostas pelo governo devem ainda enfrentar resistência da própria base aliada no Congresso. Na avaliação de líderes, a maior dificuldade será aprovar o aumento da alíquota previdenciária. A oposição, que hoje reúne cerca de 120 deputados, já anunciou que é contra alterações no funcionalismo público.

Apesar da pressão, há quem acredite serem pequenas as chances de sucesso dos servidores ao entrarem na Justiça. Floriano Peixoto de Marques Neto, professor de direito administrativo da USP, diz que a realidade fiscal se sobrepõe a possíveis questionamentos.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"