Ministro Fernando Filho entrega carta de desfiliação ao PSB

O ministro poderia ser expulso em reunião na próxima sexta, por ir de encontro ao PSB, apoiando Temer. Ele se antecipou

Fernando Filho defende a gestão de Michel Temer e o PSB faz oposição
Foto: Diego Nigro/JC Imagem

JC Online

O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, entregou na manhã desta quarta-feira, 25, seu pedido de desfiliação ao PSB. A informação foi confirmada pelo partido e pela assessoria do pernambucano.

Já existia a possibilidade de ele ser expulso da sigla por permanecer apoiando o governo Michel Temer, após o PSB virar oposição. “Ajustes como este são necessários em partidos que não querem se descaracterizar e desmerecer sua história”, disse o presidente do PSB, Carlos Siqueira.

O ministro foi exonerado na última semana para retomar seu mandato na Câmara e ampliar a base de apoio a Michel Temer na votação da segunda denúncia em plenário. Sob ameaças de punição do partido, os deputados dissidentes decidiram se desligar do PSB para manter o voto favorável ao governo em plenário.

Na carta atesta-se que a saída se deve a “incompatibilidade política, ideológica e programática”. À reportagem, a assessoria do ministro diz que ele não vai se pronunciar por hora. Já o PSB afirma que não vai pedir o mandato de deputado federal de Fernando Filho. O pai do ministro, o senador Fernando Bezerra Coelho também saiu do PSB, em setembro, e se filiou ao PMDB de Temer.

Outros quatro deputados já tinham encaminhado seus pedidos de desfiliação ao PSB: Tereza Cristina (MS), Fábio Garcia (MT), Danilo Forte (CE), e Adilton Sachetti (MT). Com as cartas entregues, a reunião da próxima sexta-feira, que iria discutir a possível expulsão dos parlamentares está cancelada.

Os deputados fazem parte da ala “rebelde” do PSB, mais alinhada ao governo Temer. Em seu reposicionamento à esquerda, o partido 'abriu fogo' contra o grupo de 14 parlamentares, que foi muito cortejado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e até mesmo por Temer.

O racha ficou mais evidente na votação da primeira denúncia contra o presidente Michel Temer, quando dois deputados do partido votaram a favor de Temer na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e no plenário. Semana passada, a deputada Tereza Cristina foi destituída da condição de líder do partido na Câmara. Assumiu em seu lugar, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que mudou os integrantes da CCJ para garantir votos favoráveis à segunda denúncia contra Temer.

MINISTRO PODE MIGRAR PARA O DEM

Nos bastidores se cogita que Fernando Filho deve migrar para o DEM. Próximo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Bezerra Filho pode disputar o governo de Pernambuco em 2018.

Para isso, ele ainda deve buscar apoio dos ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM), e das Cidades, Bruno Araujo (PSDB), que estarão no palanque de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB).

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"