Expulsão de Fernando Filho do PSB será votada nesta segunda-feira

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Do Blog de Jamildo

Integrantes do Diretório Nacional do PSB vão se reunir em Brasília nesta segunda-feira (16), às 19h, para deliberar sobre o processo disciplinar aberto em abril contra o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho. Dissidente e com filiação acertada no PMDB para março, na janela partidária, ele voltou para a Câmara para votar pela reforma trabalhista, ao contrário da posição da sigla, que fechou questão contra o projeto do governo Michel Temer.

A reunião será no salão vermelho do Hotel Nacional de Brasília. Além de Fernando Filho, três deputados também são alvos de processos que serão analisados no encontro: Danilo Forte (CE), Fábio Garcia (MT) e Tereza Cristina (MS), atual líder do partido apesar das divergências com o grupo presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira.

O Conselho de Ética do partido é favorável à expulsão dos parlamentares.

Todos negociam a migração para outros partidos. Ao todo, calcula-se que haja 13 divergentes que negociam a saída do PSB e aguardam a janela partidária, em março, para não perder os mandatos no Legislativo. Hoje, a bancada socialista tem 36 deputados.

Fernando Filho já anunciou que em março vai migrar para o PMDB, seguindo o pai dele, o senador Fernando Bezerra Coelho, que trocou o PSB pelo partido de Temer em setembro.

O clã foi cortejado por dois meses pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para que escolhessem o Democratas, mas foi atraído pelo líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), com a promessa de que receberiam o comando do partido em Pernambuco, o que ainda não aconteceu por causa de uma briga com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), tradicionalmente líder dos peemedebistas locais, e com o atual presidente estadual da sigla, Raul Henry. A disputa foi parar nas Justiças pernambucana e do Distrito Federal, que concederam liminares a favor de Jarbas e Raul.

Pai e filho estão na oposição e articulam o nome do ministro na disputa ao Governo de Pernambuco contra Paulo Câmara (PSB). Como hoje o PMDB é o principal aliado dos socialistas, a troca de palanque é um dos motivos da briga.

Paulo é vice-presidente nacional do PSB.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"