KÁTIA: PMDB DEVERIA PROVAR QUE NÃO É ‘QUADRILHÃO’


A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) reagiu ao afastamento da legenda determinado pela Executiva do partido; de acordo com a parlamentar, "a preocupação do PMDB deveria ser provar que não é uma organização criminosa, um 'quadrilhão'"; "Eu estou longe de ser um problema para o PMDB. Sigo minha vida", afirmou ela, em nota; a congressista foi afastada porque votou contra o impeachment de Dilma Rousseff

Tocantins 247 - A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) reagiu ao afastamento da legenda determinado pela Executiva do partido. De acordo com a parlamentar, "a preocupação do PMDB deveria ser provar que não é uma organização criminosa, um 'quadrilhão'". "Eu estou longe de ser um problema para o PMDB. Sigo minha vida", afirmou ela, em nota.

A congressista foi afastada porque votou contra o impeachment de Dilma Rousseff, enquanto a direção do partido havia orientado parlamentares a aprovarem o afastamento da petista. Mas tanto o Ministério Público (MPDFT) como uma perícia do Senado inocentaram a presidente deposta pelo golpe.

No caso conhecido como "quadrilhão do PMDB", são citados Michel Temer, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência), o ex-ministro Geddel Vieira Lima, e os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha (RJ) e Henrique Eduardo Alves (RN).

Em relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal comentou sobre o que chamou de segundo escalão do quadrilhão e atribuiu R$ 31,5 milhões em ‘vantagens indevidas’ a Temer e deixou o peemedebista na posição central do esquema.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"