Portaria no Diário Oficial pede exclusão de Joel da Harpa da PM

Do BLOG DA FOLHA

O processo diz respeito à venda, em 2009, de um imóvel, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, pelo valor de R$ 5 mil, a outro soldado da Polícia Militar

Joel da Harpa - Foto: Anderson Stevens/Arquivo Folha

Uma portaria da Secretaria de Defesa Social (SDS), assinada pelo secretário Antônio de Pádua e publicada no Diário Oficial de Pernambuco, nesta quarta-feira (16), determina a punição de Joel Maurino do Carmo, mais conhecido como Joel da Harpa (PTN), deputado estadual, com "a pena de exclusão a bem da disciplina", resultado de um processo administrativo. 

O processo diz respeito à venda, em 2009, de um imóvel, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, pelo valor de R$ 5 mil, a outro soldado da Polícia Militar "como se fosse de sua propriedade". A publicação pede, ainda, o arquivamento do processo administrativo em relação ao segundo soldado, "por não ter sido comprovado que tenha praticado algum tipo de infração disciplinar".

Outro lado

Em contato com o Blog da Folha, o deputado Joel da Harpa afirmou que a decisão da Corregedoria é perseguição e que "eles estão errando o alvo". "Eles não conseguem ressuscitar o Pacto (pela Vida) e estão tentando prejudicar, injustiçar quem defende a segurança pública de Pernambuco", disse o parlamentar. 

Joel da Harpa explicou que o terreno em questão era do seu pai, uma posse, que foi vendido para um policial amigo. O deputado afirma ter ido ao cartório para realizar a venda do mesmo. O PM mora no local há quase dez anos, segundo o deputado. "Depois desse tempo, apareceu um cidadão dizendo que é dono do terreno. Ele foi para a Corregedoria e foi para a Justiça. E a Corregedoria, para minha surpresa, me excluiu. E me excluiu por quê? É naturalmente perseguição ao nosso posicionamento. E está mostrando a falência do Governo em relação ao Pacto pela Vida. Deviam estar atrás de bandido, mas estão atrás de quem quer melhorar a segurança", disparou.

O deputado estadual Joel da Harpa afirmou que sua equipe jurídica está trabalhando no caso. "Vou até o Supremo Tribunal Federal. Tenho plena consciência da minha inocência. Tenho consciência que é perseguição", disse o parlamentar.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Bartol Neves assumirá mandato em Brejo da Madre de Deus

CARLINHOS E FERNANDO A CADA DIA MAIS UNIDOS

Depois de fazer críticas a Paulo Câmara, Lula senta à mesa com o governador

Bitcoin só perde para o Magazine Luiza em valorização em 2017