Portaria no Diário Oficial pede exclusão de Joel da Harpa da PM

Do BLOG DA FOLHA

O processo diz respeito à venda, em 2009, de um imóvel, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, pelo valor de R$ 5 mil, a outro soldado da Polícia Militar

Joel da Harpa - Foto: Anderson Stevens/Arquivo Folha

Uma portaria da Secretaria de Defesa Social (SDS), assinada pelo secretário Antônio de Pádua e publicada no Diário Oficial de Pernambuco, nesta quarta-feira (16), determina a punição de Joel Maurino do Carmo, mais conhecido como Joel da Harpa (PTN), deputado estadual, com "a pena de exclusão a bem da disciplina", resultado de um processo administrativo. 

O processo diz respeito à venda, em 2009, de um imóvel, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, pelo valor de R$ 5 mil, a outro soldado da Polícia Militar "como se fosse de sua propriedade". A publicação pede, ainda, o arquivamento do processo administrativo em relação ao segundo soldado, "por não ter sido comprovado que tenha praticado algum tipo de infração disciplinar".

Outro lado

Em contato com o Blog da Folha, o deputado Joel da Harpa afirmou que a decisão da Corregedoria é perseguição e que "eles estão errando o alvo". "Eles não conseguem ressuscitar o Pacto (pela Vida) e estão tentando prejudicar, injustiçar quem defende a segurança pública de Pernambuco", disse o parlamentar. 

Joel da Harpa explicou que o terreno em questão era do seu pai, uma posse, que foi vendido para um policial amigo. O deputado afirma ter ido ao cartório para realizar a venda do mesmo. O PM mora no local há quase dez anos, segundo o deputado. "Depois desse tempo, apareceu um cidadão dizendo que é dono do terreno. Ele foi para a Corregedoria e foi para a Justiça. E a Corregedoria, para minha surpresa, me excluiu. E me excluiu por quê? É naturalmente perseguição ao nosso posicionamento. E está mostrando a falência do Governo em relação ao Pacto pela Vida. Deviam estar atrás de bandido, mas estão atrás de quem quer melhorar a segurança", disparou.

O deputado estadual Joel da Harpa afirmou que sua equipe jurídica está trabalhando no caso. "Vou até o Supremo Tribunal Federal. Tenho plena consciência da minha inocência. Tenho consciência que é perseguição", disse o parlamentar.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"