"SEM COMPRAR DEPUTADOS, TEMER TERIA LEVADO SURRA"


A substituição de 13 membros da CCJ pelo Palácio do Planalto revela que Michel Temer tinha apenas 27 votos para segurar a admissibilidade da denúncia por corrupção passiva. O cálculo é do senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente da Frente Ampla; “Se foram 13 as trocas da comissão teríamos 38 votos a favor da admissibilidade e 27 contra”, tuitou o senador do PMDB; “É obstrução à Justiça usar dinheiro público para que deputados venham aqui votar a favor de um arquivamento esdrúxulo, inadequado, inoportuno”, reagiu ainda o relator Sergio Zveiter (PMDB-RJ); troca-troca indecoroso promovido por Michel Temer, apontado como corrupto por 80% dos brasileiros, foi aceito pela presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia


A substituição de 13 membros da CCJ pelo Palácio do Planalto revela que Michel Temer tinha apenas 27 votos para segurar a admissibilidade da denúncia por corrupção passiva. O cálculo é do senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente da Frente Ampla.

Segundo Requião, o ilegítimo Michel Temer perderia a votação pelo placar de 38 votos favoráveis à investigação pelo STF a 27 votos contrários à abertura da ação penal.

“Se foram 13 as trocas da comissão teríamos 38 votos a favor da admissibilidade e 27 contra”, tuitou o senador do PMDB.

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara rejeitou nesta quinta (13) o parecer que pedia a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer. Por 40 votos a 25, os membros do colegiado derrubaram o relatório de Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), que autorizava o prosseguimento da acusação pelo crime de corrupção passiva perante o Supremo Tribunal Federal (STF). Foi registrada uma abstenção.

O parecer alternativo do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), contrário à investigação de Temer, foi aceito na CCJ por 41 votos a favor e 24 votos contra, além de uma abstenção.

“É obstrução à Justiça usar dinheiro público para que deputados venham aqui votar a favor de um arquivamento esdrúxulo, inadequado, inoportuno”, reagiu Zveiter.

Apesar do protesto de Zveiter, essa pode ser uma “Vitória de Pirro” de Michel Temer. O Tinhoso tende a levar uma sabugada no plenário da Câmara, em agosto, na volta do recesso parlamentar.

Pelas contas de Requião, o deputado trocado — e humilhado — na CCJ vai trabalhar dobrado pela derrota de Temer no plenário.

Pelo sim pelo não, moralmente o ilegítimo Michel Temer sofreu uma grande derrota hoje.

Com informações da Agência Brasil

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

PARENTES E AMIGOS DÃO O ÚLTIMO ADEUS A SEU HELENO

HELINHO ARAGÃO FALA SOBRE O AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO APROVADO PELA CÂMARA DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE

A FEIRA DE ANIMAIS DE CACIMBA DE BAIXO SUPERA EXPECTATIVAS

PREFEITO EDSON FALTA A AUDIÊNCIA E CARLINHOS DIZ QUE O MOTIVO FOI MEDO