Manifestações contra reformas provocam bloqueios em todo o País

Trabalhadores e estudantes fazem passeata na zona sul de São Paulo
Crédito: Felipe Rau/Estadão

Do Estaão

Protestos contra as reformas trabalhista e previdenciária fecham rodovias e grandes avenidas em várias cidades do País nesta sexta-feira, 30. Em São Paulo, a maior manifestação desta manhã acontece na Rodovia Anchieta. Já o transporte público funciona normalmente no Rio e em São Paulo, em razão da menor adesão dos trabalhadores à paralisação de hoje. Em Brasília, o metrô e parte dos ônibus não devem operar durante todo o dia. Acompanhe a cobertura ao vivo dos protestos em todo o País no portal do Estadão.

Enquanto as centrais sindicais e outras organizações se articulam para tentar barrar as alterações nas regras trabalhistas e previdenciárias, o Planalto trabalha para captar apoio contra a acusação da PGR.

A Câmara notificou o presidente Michel Temer sobre a denúncia por corrupção, e o próximo passo é o processo seguir para a CCJ. Por isso, o governo afaga o presidente da comissão, Rodrigo Pacheco, com a troca do presidente de Furnas.

A colunista Eliane Cantanhêde mostra que o momento para Temer e Janot é crucial. De um lado, o procurador se apressa para concluir outras denúncias antes de ser substituído. E o presidente corre o risco de perder apoios decisivos.

Ao mesmo tempo em que Temer cobra 'responsabilidade' dos Poderes, o STF limita hipótese de revisão das delações - só se delator descumprir termos firmadoscom o Ministério Público. Fortalecendo a Operação Lava Jato.

Acompanhamos ainda a repercussão da redução da meta de inflação (a primeira em 14 anos), o déficit recorde das contas públicas em maio e a expectativa em relação à recuperação da economia.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

PARENTES E AMIGOS DÃO O ÚLTIMO ADEUS A SEU HELENO

HELINHO ARAGÃO FALA SOBRE O AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO APROVADO PELA CÂMARA DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE

A FEIRA DE ANIMAIS DE CACIMBA DE BAIXO SUPERA EXPECTATIVAS

PREFEITO EDSON FALTA A AUDIÊNCIA E CARLINHOS DIZ QUE O MOTIVO FOI MEDO