Jorge Bastos Moreno: veja repercussão sobre a morte do jornalista

Jornalista, colunista de O Globo, morreu na madrugada desta quarta, no Rio de Janeiro, aos 63 anos. Amigos, personalidades e políticos lamentam a perda. Em nota, o presidente Michel Temer disse que perdeu um amigo.

Por G1

Morre o jornalista Jorge Bastos Moreno, aos 63 anos

O jornalista Jorge Bastos Moreno, colunista do jornal O Globo, morreu no início da madrugada desta quarta-feira (14), no Rio de Janeiro, aos 63 anos. Moreno morreu à 1h, de edema agudo de pulmão decorrente de complicações cardiovasculares, conforme informou O Globo.

Veja o que disseram jornalistas, políticos e personalidades sobre a perda do jornalista:

João Roberto Marinho, presidente do Conselho Editorial do Grupo Globo

"Com grande tristeza, meus irmãos e eu recebemos a notícia da morte do nosso amigo e colega Jorge Bastos Moreno.

Profissional e pessoa extraordinária, exerceu sua atividade sempre com inesgotável talento, a ponto de tornar-se referência e inspiração para diferentes gerações de jornalistas. Seu olhar sempre apurado, sua capacidade de obter a informação exclusiva, o furo, aliados à sua fina escrita e a uma incrível capacidade de tratar o tema político com leveza, produziram momentos de incomparável brilho jornalístico ao longo de sua carreira. Sua paixão pelo Jornalismo e seu espírito sempre jovem o levaram, de maneira natural, a aproveitar todas as oportunidades trazidas pelas recentes mudanças tecnológicas. Rapidamente, virou multimídia. Espalhou seu talento por todas as plataformas; mídia impressa, tv, rádio, redes sociais.

Era igualmente rápido e generoso para fazer amizades nas mais diferentes áreas. Acolhedor, despido de preconceitos, construiu uma legião de amigos. Moreno deixa seu nome escrito no jornalismo brasileiro e um vazio nas redações de O Globo, da CBN, da Globonews e de suas redes sociais. A ele, a seus familiares e incontáveis amigos, leitores, ouvintes e telespectadores, expressamos nossa enorme gratidão e admiração. Foi uma honra tê-lo durante todos esses anos entre os profissionais do Grupo Globo. João Roberto Marinho, presidente do Conselho Editorial do Grupo Globo."

Gilberto Gil, cantor e compositor

Meu amigo Jorge Bastos Moreno, sempre rodeado de amigos, da laje ao cafofo, você vai fazer falta. Muita falta.

Michel Temer, presidente da República

"Convivi por 30 anos com o jornalista Jorge Bastos Moreno. Perdi hoje um amigo. O jornalismo brasileiro perdeu uma de suas maiores referências. Arguto observador, irônico com maestria, crítico ferino, insistente apurador de fatos e bastidores, Moreno construiu uma das carreiras mais brilhantes e respeitadas nas redações do país. Minha solidariedade aos familiares e amigos deste excelente profissional que nos deixa de maneira tão repentina".

Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente

"Ele foi um grande jornalista, porque primeiro ele ia ao fato. Segundo, ele traduzia o fato com rapidez e precisão, palavras simples. Terceiro, dando a impressão de que não estava falando de coisa séria, ele analisava o processo histórico, político. Então, foi realmente um jornalista de primeira categoria."

"Moreno era um ser peculiar", afirma o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

William Bonner, jornalista

Pausa no silêncio. 
Se o Jornalismo pudesse escolher a hora do descanso de seus ícones, não teria levado o Moreno num momento desses.

Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente do Senado

O jornalismo brasileiro perde hoje um brilhante profissional. O falecimento de Jorge Bastos Moreno deixa grande lacuna. Meus sentimentos.

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos deputados

Brilhante jornalista e um amigo. Fará muita falta ao jornalismo do país e a todos que tiverem o privilégio de conviver com ele.

Alexandre Garcia, jornalista

Grande perda de uma figura ímpar. Choque acordar com essa notícia. 

Gerson Camarotti, jornalista

Hj é um dia triste p o jornalismo. @RadiodoMoreno foi um mestre p várias gerações de jornalistas e um amigo generoso.




Em seu blog, Camarotti conta como foi seu último encontro com Moreno.

Cristiana Lôbo, jornalista

“O Moreno é uma referência para o jornalismo brasileiro. A biografia do Moreno se confunde com a história do Brasil. O primeiro furo dele foi a escolha do general João Baptista Figueiredo e do fim da ditadura para a redemocratização, para esse momento que a gente está vivendo. O Moreno sempre atuou de forma muito intensa. Eu acho que o Moreno é um exemplo pra todos nós, pela determinação, pelos furos que deu, e, sobretudo pelas conversas do Moreno. Eu acho que todos nós vamos ter lembranças muito grandes das histórias que ele contava, que formavam a história do Brasil.”

"Moreno é uma referência para o jornalismo brasileiro", diz Cristiana Lôbo

Valdo Cruz, jornalista

"Um dia triste para o mundo do jornalismo. Eu cheguei em Brasília em 1988 e o Moreno já era Moreno naquela época. Logo depois ele foi tabalhar na campanha do deputado Ulisses Guimarães para a Presidência da República. Moreno sempre foi um jornalista de destaque. O que me impressionava é que ao longo desses anos todos ele conseguiu se manter em evidência e como uma figura importante e referência do jornalismo brasileiro. Uma palavra que eu posso definir Moreno é generosidade".

Valdo Cruz: " Moreno sempre foi um jornalista de destaque"

Ancelmo Gois, jornalista

Moreno foi um sedutor, talvez o maior que eu conheci. Imagino como era difícil para uma fonte negar uma notícia para ele. Era irresistível.

Gilmar Mendes, ministro do Supremo e presidente do Tribunal Superior Eleitoral

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, lamenta o falecimento, na madrugada desta quarta-feira (14), do jornalista Jorge Bastos Moreno, colunista do jornal O Globo. Moreno, como é conhecido no meio profissional, foi um dos mais respeitados repórteres de política do país, com décadas de experiência, e também atuava em outras áreas do jornalismo, como economia e Judiciário brasileiro, sempre com profundo conhecimento dos temas abordados nas reportagens.

Moreno nasceu em Cuiabá (MT) e viveu em Brasília desde a década de 1970, mesma época em que o presidente do TSE chegou à capital. Os dois nasceram no estado do Mato Grosso, mantinham uma amizade de longos anos. Para o presidente do TSE, o jornalista fará falta não apenas como profissional, mas também como pessoa ímpar e especial.

O ministro Gilmar Mendes expressa suas condolências aos familiares nesta hora de profundo pesar.


João Doria, prefeito de São Paulo

O Brasil perde Moreno, um expoente no jornalismo. Com sensibilidade, ética e competência, aproximou os brasileiros da realidade política.

Marcelo Tas, jornalista e apresentador

Tristeza: lá se foi o generoso jornalista Jorge Bastos Moreno. Puro afeto e coração

Luis Erlanger, jornalista e escritor

"O compadre Moreno criou estilo diferenciado de fazer jornalismo político. E também era um craque na arte de fazer amigos. Não conseguimos concretizar o sonho de escrever juntos um livro e de montar a peça sobre dona Mora. E foi me devendo um pacu recheado de farofa. Estou viajando, não vou poder me despedir dele. Um dos grandes. É insubstituível."

Maria Beltrão, jornalista

Que tristeza, meu Deus. Morreu Jorge Bastos Moreno, uma das pessoas mais generosas e queridas que já conheci.

Pedro Doria, jornalista e escritor

"Jorge Bastos Moreno fará imensa falta. Era, de longe, um dos jornalistas mais bem informados do Brasil. E, caramba, como recebia bem…"

Mílton Jung, jornalista


'Vai ser difícil pensar no jornalismo político sem Jorge Bastos Moreno', diz @pedrodoria ao @jornaldacbn https://glo.bo/1cOUAPA 

Giuliana Morrone, jornalista


Poliana Abritta, jornalista e apresentadora do "Fantástico"

"Acordei com uma notícia triste... sem Moreno. Foi cedo, meu amigo. Cedo demais... Generoso e sempre muito, muito!, querido comigo. "- Quero uma foto de vocês duas!". "- Com você, Moreno!" E ele fez essa carinha... Você sempre será lembrado. E fará muita falta!

A jornalista Poliana Abritta homenageou Moreno (Foto: Reprodução/Instagram/@polianaabritta)

Jorge Viana (PT-AC), senador

“Era uma das figuras mais brilhantes do jornalismo brasileiro.”

Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), senador

“É uma pena que um jornalista como este, que escrevia com tanta criatividade, e trazia senso de humor mesmo nos momentos mais difíceis que o Brasil atravessava, desapareça de nosso meio deixando essa falta entre os colunistas, entre aqueles que como nós o admiravam.”

Ronaldo Caiado (DEM-GO), senador

Na época, era muito comum irmos a casa de Moreno após as sessões na Câmara. A resenha era lá. Uma grande perda. Meus sentimentos!

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), senadora

"Moreno era uma pessoa que dialogava com absolutamente todos [...] Uma grande figura, um grande homem, que fará muita falta ao jornalismo brasileiro, mas deixou sua marca, deixou seu nome”.

Jandira Feghali (PT-RJ), deputada federal

Que triste a perda de @RadiodoMoreno. Um grande profissional e extremamente competente. Era sempre mt agradável no exercício do jornalismo.

Paulo Hartung (PMDB), governador do ES

"O Brasil perde um dos seus grandes nomes com a morte do jornalista Jorge Bastos Moreno. Dono de um texto peculiar e de comentários que misturavam crítica e ironia, ele escreveu história na imprensa, em especial no jornalismo político. Com seu trabalho, retratou fatos importantes do país ao longo dos seus 40 anos de carreira. Vai fazer falta para seus leitores, admiradores e amigos. Deixo aqui meus sentimentos à família."

Rodrigo Rollemberg (PSB), governador do DF

"A morte do jornalista Jorge Bastos Moreno é irreparável para o jornalismo brasileiro. Competente, irônico, sagaz, Moreno nunca perdeu a alegria ao reproduzir as informações para o seu grande público, cativo e fiel. Moreno praticou o jornalismo da mais alta qualidade, com precisão e picardia. Brasília teve a honra de tê-lo como morador desde a década de 70, quando chegou aqui para estudar na Universidade de Brasília. Meus sentimentos a toda a sua família e a imensa legião de amigos e de leitores que hoje amanheceram mais tristes."

Fernando Pimentel (PT), governador de MG

"Recebi com muita tristeza a notícia do falecimento de Jorge Bastos Moreno, um dos mais respeitados e premiados jornalistas brasileiros. Com humor e fidelidade no trato da notícia, Moreno vivenciou parte importante da nossa História e retratou como poucos a cena política, econômica e social do país nas últimas décadas. Tive com ele relação de amizade, ao tempo em que residi em Brasília, e guardo com carinho nossa convivência e nossas conversas, sempre afetuosas, como era do seu estilo. Aos familiares e amigos, deixo a minha solidariedade."

Rui Costa (PT), governador da BA

"Sua história se confunde com a própria história da política nacional nas últimas décadas. Espero que Deus conforte sua família e amigos nesse momento."

Mariana Godoy, jornalista
Meu querido amigo @RadiodoMoreno partiu hoje. Nasceu com São Jorge e partiu com Santo Antonio.

Eduardo Paes (PMDB), ex-prefeito do Rio


Pense na relação sempre complexa entre políticos e jornalistas em razão das próprias características da atividade … http://ift.tt/2ruUs2t 

Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), prefeito de Salvador

"Moreno era uma figura humana extraordinária. Alguém com um enorme senso de humor. Um excelente profissional, com enorme talento, e um grande ser humano. Mais do que construir fontes, Moreno soube fazer e preservar amizades. Tive uma prazerosa convivência com ele. Gostava muito dele. Sentirei falta dessa relação."

Alessandro Molon (Rede-RJ), deputado federal

Dia triste! O jornalismo e a política perdem um olhar apurado, um humor sagaz e um texto sem igual. #ChameMolonhttps://twitter.com/JornalOGlobo/status/874934442657296389 …

Maria do Rosário (PT-RS), deputada federal

Moreno: pessoa capaz de agregar e jornalista com cultura política extraordinária. Admirador de Ulisses, um jornalista pela democracia.

Jô Moraes (PCdoB-MG), deputada federal

"Partiu um amigo da convivência universal cotidiana. 'As meninas do PCdoB' sempre lembrarão."

Ricardo Tripoli, deputado federal, em nota da liderança do PSDB

"O jornalismo brasileiro perdeu hoje um de seus expoentes. A morte prematura de Jorge Bastos Moreno deixa uma lacuna na cobertura política brasileira. Profissional dedicado à verdade, cuidadoso no trato da informação e leal com suas fontes e personagens, Jorge Bastos Moreno foi um jornalista que dignificou a profissão e ficará para sempre como inspiração às novas gerações. Aos familiares e amigos, os sentimentos de toda a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados."

Aureo, deputado federal, em nota da liderança do Solidariedade

"É com muito pesar que recebemos a notícia do falecimento de Jorge Bastos Moreno, jornalista e colunista do jornal 'O Globo'. Moreno, como era conhecido, era um repórter muito respeitado no meio político, premiado por seu trabalho e com mais de 40 anos de profissão. Era conhecido por ser gentil e generoso com os colegas, além de bem relacionado com autoridades dos Três Poderes, sem perder o respeito e o bom humor. O jornalismo brasileiro perde um de seus bons exemplares. Manifestamos o mais profundo sentimento de solidariedade à família e aos amigos pela perda irreparável."

Tarso Genro, ex-governador do RS

Faleceu o jornalista Jorge Moreno. Profissional decente, inteligente, respeitável e respeitoso. Descansa em paz, Moreno!

Cidinha Campos (PDT), deputada estadual do RJ

Jorge Bastos Moreno era, disparado, o colunista que eu mais gostava.
Estou desolada! http://fb.me/3OgS98bjA 

Luiz Paulo (PSDB), deputado estadual do RJ

Perde Brasil grande jornalista Jorge Moreno, revelador de muitos "furos" da política. Humor fino. Sua presença era essencial na atual crise.

"Ai, moreno... eu vou morrer de saudade. Poxa, vem de vez em quando nos meus sonhos, pra me contar uma boa, dizer como você está? Te prometo ser uma boa moça, me cuidar direitinho e nunca mais comer farofa com feijão sem você no pensamento. Nunca mais, moreno. Olha, vai tranquilo, que vamos cuidar da Carlucia e de tudo por aqui, tá? até já! (Sobre ser impossível se despedir do quem mora dentro de você)."
Carolina Disckmann homenageia Moreno (Foto: Reprodução/Instagram)

Mariana Ximenes, atriz

"Hoje perdi meu padrinho querido, meu porto seguro. Você viverá em mim."

Mariana Ximenes presta homenagem a Moreno (Foto: Reprodução/Instagram)

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Bartol Neves assumirá mandato em Brejo da Madre de Deus

CARLINHOS E FERNANDO A CADA DIA MAIS UNIDOS

Depois de fazer críticas a Paulo Câmara, Lula senta à mesa com o governador

Bitcoin só perde para o Magazine Luiza em valorização em 2017