COLUNA DO MAGNO DESTACA A ELEIÇÃO SUPLEMENTAR EM BELO JARDIM

Do Blog do Magno


Hélio despolariza Belo Jardim
A pesquisa do Instituto Opinião sobre a eleição suplementar para prefeito de Belo Jardim, que este blog traz hoje com exclusividade, na qual o candidato do PTB, Hélio dos Terrenos, à esquerda de camisa vermelha, abre uma vantagem de 16 pontos sobre o ex-vice-prefeito Luiz Carlos (PSB), apoiado pelo ex-prefeito João Mendonça (PSB), deixa o grupo do senador Armando Monteiro, pré-candidato a governador em 2018, numa posição confortável em um município importante do Agreste.
Se as eleições fossem hoje, Hélio teria 40,5% dos votos contra 24,3% de Luiz Carlos. Numa posição bem inferior, com apenas 11,3%, se situa o prefeito em exercício, Gilvandro Estrela (PV), ligado ao ministro da Educação, Mendonça Filho. Pelos números, a disputa ficou restrita aos candidatos do ex-prefeito e de Armando. Em política, as surpresas sempre acontecem, mas dificilmente o candidato de Mendonça terá condições de reagir, até porque não há mais tempo. A eleição está marcada para o próximo dia 2.
Sendo assim, a tendência é que Estrela possa até cair mais. Impressiona, por outro lado, o alto índice de indecisos: 14,9%. Como brancos e nulos se situam em 9% temos, portanto, quase 25% do eleitorado em cima do muro, passando a impressão de que não deseja nem confia em nenhum dos nomes postos. Diferentemente de Ipojuca, a eleição suplementar de Belo Jardim foi marcada com menor tempo para a campanha eleitoral.
O mais interessante, na realidade, é que não se assiste a uma disputa acirrada entre os dois grupos que se rivalizam hoje no município: o de João Mendonça com o de Mendonça Filho. Eles são primos e já militaram por muito tempo num só palanque, mas antes de morrer em abril de 2011, o velho cacique José Mendonça Bezerra, pai do ministro, já estava distante de João.
O fenômeno Hélio dos Terrenos tem uma explicação muito local. Do ramo imobiliário, virou um ricaço da noite para o dia, sua campanha não tem limites em gastança. Na eleição de outubro passado, saiu das urnas como o segundo mais votado. Além de contar com o apoio de Armando, no município o seu braço direito é o grupo do ex-prefeito Cintra Galvão, que por muito tempo mediu forças com José Mendonça. 
CERTEZA DA VITÓRIA  – A posição de Hélio dos Terrenos (PTB) é mais do que confortável. Quando o Instituto Opinião quis saber na pergunta direta e objetiva quem vai ganhar a eleição, sem apresentar os nomes dos candidatos, 43,5% apostaram no trabalhista ante 24,3% em Luiz Carlos (PSB). O prefeito em exercício e candidato à reeleição, Gilvandro Estrela (PB), é lembrado por apenas 5%, enquanto 27,2% não quiseram responder ou informaram que não sabiam. No quesito rejeição, Estrela é o que aparece com o menor percentual, enquanto Luiz Carlos aparece no topo.
Quem sai perdendo– 
Numa eventual derrota do candidato apoiado pelo ex-prefeito de Belo Jardim, João Mendonça, o socialista Luiz Carlos, quem também sai chamuscado é o ministro das Cidades, Bruno Araújo, com forte vínculo no município e que foi apoiado pelo grupo de João. Entre as expressivas lideranças estaduais do PSB pouca gente se envolveu até o momento na campanha. Herdeiro político do ex-governador Eduardo Campos, o jovem João Campos foi visto numa carreata seguida de um comício no domingo passado.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Bartol Neves assumirá mandato em Brejo da Madre de Deus

CARLINHOS E FERNANDO A CADA DIA MAIS UNIDOS

Depois de fazer críticas a Paulo Câmara, Lula senta à mesa com o governador

Bitcoin só perde para o Magazine Luiza em valorização em 2017