Oposição cobra que governo escute a voz da sociedade e dos movimentos sociais em debate sobre a violência



O Governo do Estado e seus representantes no Poder Legislativo tentaram evitar o debate em sobre o Pacto pela Vida e o crescimento da violência em nosso estado, obstruindo a realização de audiência pública marcada para a manhã desta quinta-feira (25), na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

A audiência, que chegou a ser iniciada, mas foi interrompida após confronto de um deputado da base governista com representantes dos movimentos sociais que assistiam a sessão das galerias. Estiveram presentes os secretários Angelo Gioia (Defesa Social), Marcio Stefani (Planejamento), Pedro Eurico (Justiça), do comandante da Polícia Militar, Cel. Vanildo Neves, do chefe da Polícia Civil, Joselito Kherle, além de representantes de entidades da sociedade civil.

“Foi mais uma tentativa de calar a Oposição, a sociedade civil e os movimentos sociais. Mas não vão conseguir. Vamos continuar debatendo a questão do aumento da violência com a sociedade e vamos trazer esse tema para a Assembleia Legislativa, que é, antes de tudo, a casa do povo”, afirmou o deputado Silvio Costa Filho (PRB), autor da convocação da audiência.

Para a deputada Priscila Krause (DEM), a audiência reflete a indisposição para o diálogo do governo. "A audiência deixou claro que o governo não admite a voz dos movimentos sociais como parte integrante do Pacto Pela Vida, rejeita o diálogo com qualquer parte que não seja ele próprio, com o Parlamento, por exemplo. O fato de ter sido encerrada rapidamente terminou sendo favorável ao governo, que mostrou não ter o que dizer sobre a falta de rumo do programa", avaliou a parlamentar.

Presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, o deputado Edilson Silva (Psol) afirmou que a sociedade não vai ser afastada do debate sobre a segurança. “No próximo encontro que tivermos, vamos ter ainda mais gente dos movimentos sociais aqui presentes”, prometeu.

A bancada oposicionista vai apresentar novo pedido para realização da audiência. “Não vamos desistir desse debate. Vamos apresentar à mesa diretora um novo pedido para a realização de nova audiência, nos próximos 15 dias, para que o Pacto pela Vida seja discutido com a sociedade civil e os movimentos populares”, explicou Silvio Costa Filho.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

PARENTES E AMIGOS DÃO O ÚLTIMO ADEUS A SEU HELENO

HELINHO ARAGÃO FALA SOBRE O AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO APROVADO PELA CÂMARA DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE

A FEIRA DE ANIMAIS DE CACIMBA DE BAIXO SUPERA EXPECTATIVAS

Duas pessoas morrem após tiroteio em igreja evangélica