Juíza reprova contas de Antônio Campos, que diz estar tranquilo

Segundo a decisão, ex-candidato teria omitido e descumprido prazo de envio dos relatórios financeiros de campanha no período estabelecido pela legislação eleitoral

Do Blog da Folha

Antônio CamposFoto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha de Pernambuco

A juíza da 117ª Zona Eleitoral do município, Adrianne Maria Ribeiro de Souza, reprovou a prestação de contas do então candidato do PSB à Prefeitura de Olinda nas eleições de outubro passado, Antônio Campos.

De acordo com a decisão, Antônio Campos teria omitido e descumprido prazo de envio dos relatórios financeiros de campanha no período estabelecido pela legislação eleitoral.

A juíza Adrianne Maria Ribeiro de Souza afirma, no seu documento, que foram realizadas 16 doações sem que o candidato tenha entregue relatórios financeiros à Justiça Eleitoral até 72h após recebimento.

As doações de campanha somam o montante de R$ 613.500,83 e a não entrega do documento no prazo devido foi considerada "uma falha grave" pela juíza.

"É oportuno recordar que a prestação de contas fundamenta-se em preceitos da legalidade, transparência, publicidade e veracidade", alertou a juíza em sua sentença.

Outro lado

Após tomar ciência da decisão da juíza, Antônio Campos divulgou nota em que diz estar “tranquilo” e que contestará a decisão.

“O juízo do primeiro grau sequer considerou e analisou a nossa prestação de contas retificadora, que regularizava questões formais, quando deveria obrigatoriamente reabrir o prazo para novo parecer da auditoria e do Ministério Público, onde demostramos a regularidade de nossas contas, pautadas pela legalidade e transparência”, diz trecho da nota.

E encerra afirmando que a sua defesa demostrará “o equívoco da decisão e a regularidade das nossas contas, aprovando-as”.

Veja a íntegra da nota do ex-candidato Antônio Campos:

Com referência a sentença lançada hoje no sistema da Justiça Eleitoral e ainda não publicada, pela Juíza da 117 Zona Eleitoral, logo em seguida a ser anunciada uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral, que anula a sua decisão, que aprovou as contas do professor Lupércio, temos a esclarecer o seguinte:

01 - A concisa decisão de uma página e meia, que de forma não fundamentada desaprova minhas contas de campanha, será objeto de recurso eleitoral, que certamente anulará a sentença por diversas irregularidades e inconsistências.

02 - O juízo do primeiro grau sequer considerou e analisou a nossa prestação de contas retificadora, que regularizava questões formais, quando deveria obrigatoriamente reabrir o prazo para novo parecer da auditoria e do Ministério Público, onde demostramos a regularidade de nossas contas, pautadas pela legalidade e transparência.

03 - Estou tranquilo que iremos demostrar o equívoco da decisão e a regularidade das nossas contas, aprovando-as, por ser de Direito e imperativo de Justiça.

Olinda, 08 de maio de 2017.

Antônio Campos
OAB-PE 12.310

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"