No dia 15, paralisações e manifestações contra a reforma da previdência ocorrerão em todas as capitais do país

Os atos, que contarão com participação massiva de profissionais da educação, também reivindicam por mais direitos e levantarão a bandeira do “Fora, Temer”. Confira a agenda completa



A próxima quarta-feira, dia 15 de março, foi a data escolhida por milhares de trabalhadores de todo o país para lutar contra a chamada “reforma” da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer e reivindicar mais direitos e condições de trabalho. Em todas as capitais do Brasil ocorrerão atos, manifestações e paralisações de categorias.

É o primeiro ato do ano realizado em conjunto pela Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo e o fórum das centrais sindicais. Diversos sindicatos também realizarão assembleias e atos nas categorias, sendo que a maior mobilização prevista será a dos professores e trabalhadores da educação, convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

A reforma da Previdência, pauta principal das manifestações, pretende mudar a idade mínima de aposentadoria para 65 anos tanto para homens quanto para as mulheres e aumentar o tempo de contribuição de 15 para 25 anos. Levando em consideração que a expectativa de vida nas periferias – onde se concentra a maior parte da classe trabalhadora – e em muitas cidades é de 58 anos, grande parte dos brasileiros, pela proposta, deve morrer sem conseguir se aposentar.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

ERNESTO E CARLINHOS DENUNCIAM MAUS TRATOS AOS ANIMAIS EM CURRAL PÚBLICO DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE

PROJETO PARA QUE AS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE TENHAM O HORÁRIO ESTENDIDO ATÉ AS 20 HORAS É APROVADO NA CÂMARA DE VEREADORES

BRUNO ARAÚJO: 'ESTOU PRONTO PARA ACEITAR ESSA MISSÃO'

Feira do Sítio Cacimba de Baixo movimenta a Zona Rural de Santa Cruz do Capibaribe

MARÍLIA ARRAES NESTA QUINTA-FEIRA EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE