Postagens

Mostrando postagens de Novembro 6, 2016

O ADEUS A AUGUSTINHO RUFINO DE MELO

Imagem
Muita gente acompanhou o sepultamento do ex-prefeito e ex-deputado, de Santa Cruz do Capibaribe, na tarde deste domingo (06).
Familiares, amigos, correligionários e o povo em geral foram dar o último adeus a Augustinho Rufino. 
Vários políticos da região também se fizeram presente.







ENTREVISTA COM O VEREADOR ELEITO BORGES

Imagem
Ele é um veterano no poder legislativo da Dália da Serra e a partir de janeiro de 2017 assumirá mais um mandato na Casa Miguel Lucas de Araujo.
Jorge Custódio Maia (Borges) foi eleito pelo PSD com 628 votos. 
Taquaritinga do Norte tem 11 representantes na Câmara de Vereadores.
Na entrevista Borges agradece os votos recebidos e diz que seu mandato será em prol da melhora de vida do povo. Ele fala também sobre como será a sua atuação a partir do próximo ano e traça um panorama do momento político em que o país está mergulhado.
Ouça a entrevista clicando no link abaixo:

As rondas ostensivas da patrulha ideológica, por Leandro Karnal

Imagem
Às vezes escrevo um texto e já imagino a reação. Para esse vinha a música: who let the dogs out? Eis o artigo do Estadão de hoje.
As rondas ostensivas da patrulha ideológica
Dizem que o criador da expressão foi Cacá Diegues, em entrevista no Estadão. Patrulha ideológica referia-se à perseguição da esquerda a seus filmes. O pensamento patrulheiro ficou vasto e variado. Os militantes das rondas percorrem as ruas da internet e da imprensa. É uma forma de censura. Ela existe entre conservadores e esquerdistas, entre ateus e religiosos, entre apreciadores de carménère e de cabernet sauvignon.
Quando eu era jovem, alguns patrulheiros diziam que não se podia ler Gilberto Freyre. Era, claro, uma patrulha ideológica. A questão não era dizer que Casa Grande e Senzala deveria ser vista com ressalvas históricas. A postura era do índex inquisitorial: você não pode ler!
Reafirmarei sempre, em todos os lugares: um texto pode ser conservador e genial, como o de Edmund Burke ou o de Alexis de Tocquevi…

Temer e a “farra das passagens aéreas”

Imagem
Por Altamiro Borges
Patrocinada pela mídia falsamente moralista, a escandalização da política segue nas alturas – o que ajuda a explicar o recorde de votos nulos e brancos nas eleições de outubro e também a vitória de tantos prefeitos e vereadores picaretas. O caso do momento é o da chamada “farra das passagens”, em que a reputação de inúmeros deputados federais é jogada na lata de lixo de forma sumária. O Ministério Público Federal apurou que 433 parlamentares repassaram os seus bilhetes aéreos para terceiros, o que é uma prática prevista no Legislativo. De imediato, a imprensa transformou a denúncia em um novo escândalo midiático, ajudando a satanizar ainda mais a política.
O curioso, porém, é que a mídia segue seletiva na sua indignação com o mau uso do dinheiro público. Entre os listados pelo MPF, encontra-se o Judas Michel Temer. Quando presidente da Câmara Federal, ele teria usado sua cota de passagens para uma viagem de turismo a Porto Seguro (BA), acompanhado de mulher, familia…

Casos de foro privilegiado se arrastam por até 18 anos no Supremo

Imagem
Da Folha de São Paulo
Renato Costa/FramePhoto/Folhapress
O plenário do Supremo Tribunal Federal, que julga os casos de foro privilegiado

RUBENS VALENTE
CAMILA MATTOSO
GABRIEL MASCARENHAS
RANIER BRAGON
DE BRASÍLIA

O presidente da República era Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e a TV Globo transmitia a novela "Torre de Babel" quando, em agosto de 1998, a Polícia Federal abriu inquérito em Porto Velho para apurar uma série de "saques indevidos de FGTS pelo Estado de Rondônia".
Quem assinava os contratos sob suspeita com a Caixa era o então governador do Estado, Valdir Raupp, hoje senador pelo PMDB.
Em 1º de setembro de 2000, o oficial de Justiça informou em ofício que "o acusado Valdir Raupp reside em Brasília". Desde então, o Judiciário não consegue dar uma palavra final sobre o caso, até para um eventual benefício do parlamentar, já que por três vezes o Ministério Público pediu o arquivamento, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda não decidiu e Raupp …